Segundo o site ABC Digital, há uma estimativa de acordo com a Summit de que as partes 1 e 2 de Amanhecer poderão passar de 1 bilhão de dólares de arrecadação.

A produtora de cinema Summit Entertainment, que tem como principal franquia a saga “Crepúsculo”, certamente tem altas esperanças para o final de sua vampírica série de filme, final este que chegará em dois filme e cujos rendimentos se projetam em mais de um bilhão de dólares ao todo. Estas predições aparecem em um relatório marcado como “confidencial” da Summit, que vazou na internet na quarta-feira e é reproduzido por Collider.com.

Os filmes da saga “Crepúsculo”, baseados nas novelas homônimas da autora americana Stephanie Meyer, provaram ser altamente rentáveis para Summit, não só por seu grande rendimento na bilheteria mundial, como também pelo relativamente baixo custo de produção que costumam ter.

O primeiro filme da saga, “Crepúsculo” (dirigido por Catherine Hardwicke), que apresentou o mundo da jovem Bella Swan e o vampiro Edward Cullen a toda uma nova demografia fora dos fãs dos livros, foi uma das surpresas de 2008, com uma arrecadação mundial com mais de 390 milhões de dólares.

Os filmes que deram sequência, “Lua Nova” (2009, de Chris Weitz) e “Eclipse” (2010, de David Slade), registram uma arrecadação mundial de 710 e 698 milhões de dólares, respetivamente.

A adaptação do capítulo final da saga, “Amanhecer”, será apresentada em duas partes, de maneira similar ao capítulo final da também imensamente popular saga “Harry Potter”. O filme, dirigido por Bill Condon (“Dreamgirls”), está em etapa de pós-produção.

Tradução: Deia Almeida