Tenet na Entertainment Weekly!

O novo filme Christopher Nolan, Tenet, é a grande aposta da indústria cinematográfica pós-pandemia para a volta do público nos cimenas. Em razão disso, é o destaque de capa da revista Entertainment Weekly em sua edição de Julho. Na publicação, há novas informações sobre o misterioso longa, além de entrevistas com os atores Robert Pattinson, John David Washington e Aaron Taylor-Johnson, que foram concedidas em Março desse ano. Sem contar que foram divulgadas imagens de um novo photoshoot e de um vídeo. Todas essas informações podem ser lidas, na tradução do artigo e vistas em nossa galeria, a seguir:


SCANS > INTERNACIONAIS > 2020 > JULHO 2020 – ENTERTAINMENT WEEKLY
PHOTOSHOOTS > 2020 > ENTERTAINMENT WEEKLY
OUTROS > SCREENCAPS > (JUL. 2020) ENTERTAINMENT WEEKLY

Time for Tenet: Nos bastidores do filme ultra-secreto de Christopher Nolan

“Esta é uma mera fatia do que o filme será ”, disse Emma Thomas, produtora Tenet, à EW em outubro do ano passado no meio do sufocante deserto da Califórnia . Se essa é uma lasca, o mais recente filme do escritor e diretor Christopher Nolan ficará um pouco confuso: em uma extensão de terreno poeirento e com raios de sol a aproximadamente 130km ao leste de Palm Springs, uma cidade abandonada de prédios destruídos e escombros foi construída a partir de scratch, um vasto conjunto povoado por centenas de figurantes em uniformes de camuflagem militar. À medida que o dia avança e a temperatura sobia, duas das estrelas do filme, John David Washington e Aaron Taylor-Johnson, correm repetidamente pela estrada, bifurcando a paisagem urbana. Robert Pattinson, dirigindo um veículo militar blindado, está em perseguição; ele é seguido por outro caminhão segurando uma câmera IMAX e Nolan. Todo o shebang é praticamente o flex mais impressionante financiado por Hollywood que você poderia esperar ver. Até Nolan, que tem muita experiência em dirigir filmes grandes – Interstellar, A Origem e a trilogia de Cavaleiro das Trevas, estrelada por Christian Bale – parece impressionado. “O conjunto certamente seria classificado como uma das construções externas de maior escala de todos os tempos”, diz ele. “É colossal”.

É uma surpresa que a EW tenha sido convidada para testemunhar o processo hoje, devido ao sigilo em torno do filme da Warner Bros. Quando as notícias do novo projeto de Nolan, estrelado por Washington, Pattinson e Taylor-Johnson, foram divulgadas em maio de 2019, o estúdio descreveu o filme, com deliberada imprecisão, como “um épico de ação evoluindo do mundo da espionagem internacional”. Hoje, Thomas continua extremamente calada sobre o projeto, cujo elenco também inclui Elizabeth Debicki, Clémence Poésy, Himesh Patel, Michael Caine, regular de Nolan, e Kenneth Branagh, que apareceu no filme anterior do diretor Dunkirk. A produtora se recusa educadamente a responder até as perguntas mais básicas, como em que país devemos estar agora? “Sei que as pessoas pensam que somos secretos e geralmente não somos”, diz Thomas, casada com Nolan e que produziu todos os seus filmes. “Neste, há um pouco mais …” Thomas faz uma pausa e depois muda de rumo. “Tudo ficará claro!”

Mas se o público ficar em casa por medo, Hollywood pode ter que esquecer completamente o verão (inverno no nosso hemisfério) e começar a se preocupar seriamente com o outono (nossa primavera). Como resultado, o lançamento de Tenet é um símbolo da experiência na tela e um indicador prático de quando as pessoas realmente voltarão aos cinemas. (Sem pressão, Chris.) Os filmes de Nolan lidam frequentemente com o conceito de tempo, e Tenet não é exceção, mas o relógio que marca a aproximação da data de lançamento é uma força temporal sobre a qual o diretor não tem controle. Em suma, a grande questão em torno de Tenet não é mais “Do que se trata?” mas “As pessoas vão voltar aos cinemas para assistir?”

O que nos diz muito sobre o nível de sigilo em torno de Tenet que, quando Pattinson se encontrou com Nolan em Los Angeles no início de 2019, ele nem sabia para que era para uma reunião. “Conversamos por três horas sobre nada, na verdade”, diz o ator, 34. “Então, ele finalmente disse nos últimos dois minutos: ‘Então, eu escrevi essa coisa …’” Debicki lembra de ter que ler O roteiro de Nolan no lote da Warner Bros em Burbank. “Fui a uma pequena sala e li o roteiro sozinha”, diz a atriz australiana de 29 anos, mais conhecida por interpretar Jordan Baker em O Grande Gatsby, de 2013. “Isso é bastante incomum. Parece um tipo de clube e, de alguma forma, recebi a senha mágica e, de repente, experimentei as maquinações da mente de Chris Nolan, que eram fascinantes “.

O primeiro encontro de Washington com Nolan foi semelhante ao de Pattinson: “Conversamos sobre tudo, exceto o projeto”, diz o ator, 35 anos. “Conversamos sobre nosso amor por filmes, família, minha infância. Foi realmente uma reunião agradável e, quando descobri que consegui o papel, li o roteiro. ” Nolan diz que notou Washington pela primeira vez enquanto o assistia o interpretar o jogador da NFL Ricky Jerret no Ballers (sim, como a senadora Elizabeth Warren, o diretor é um fã improvável da comédia esportiva da HBO) e começou a pensar em escalá-lo depois que Spike Lee convidou o diretor para a estréia de Infiltrado na Klan no Festival de Cannes de 2018. “John David foi um protagonista muito carismático desse ótimo filme”, diz Nolan. “Parecia o destino naquele momento.” É claro que Nolan acredita que o ator tem a presença na tela para seguir os passos de seu pai, Denzel Washington.

A capacidade de Nolan de manter um controle sobre o projeto é duplamente notável, dado há quanto tempo ele pensa nisso. “Estou trabalhando nessa iteração do script há cerca de seis ou sete anos”, diz o diretor, telefonando em maio de sua casa em Los Angeles, onde supervisiona a pós-produção de Tenet. Branagh diz que Nolan não mencionou o projeto para ele quando estavam filmando Dunkirk, o que provavelmente é bom, já que o ator não pode deixar de se entusiasmar com o filme, deixando escapar algo próximo de uma sinopse ao longo do caminho. “É uma peça de espionagem que está lidando com uma ameaça global para o mundo”, diz Branagh, 59. “Um holocausto nuclear não é o maior desastre que poderia acontecer à raça humana. Tenet discute uma possibilidade ainda pior, e está envolto nesse tratamento estonteante do tempo que continua as preocupações de Chris Nolan nos filmes desde Memento, através de Interstellar e A Origem. ”


Em breve legendado

Em Tenet, essa questão floresceu no que os personagens do filme chamam de “inversão”, uma maneira de manipular o tempo para que os personagens possam, por exemplo, “disparar” balas de volta em uma arma. (A última habilidade é muito mais útil do que você imagina, de acordo com o prólogo do filme, que foi exibido antes de algumas sessões de Star Wars: A Ascensão do Skywalker em dezembro passado.) A inversão é inspirada na física e na entropia da vida real, medida de desordem e aleatoriedade em sistemas termodinâmicos. “Este filme não é um filme de viagem no tempo”, diz Nolan. “Ele lida com o tempo e com as diferentes maneiras pelas quais o tempo pode funcionar. Não para entrar em uma aula de física, mas a inversão é essa ideia de material que teve sua entropia invertida, de modo que está retrocedendo no tempo, em relação a nós. ”

E nós pensamos que isso não seria uma aula de física! É menos complicado quando Nolan descreve seus personagens principais, incluindo os de Washington. “Estamos lidando com um mundo de espionagem, lidando com um mundo de identidades ocultas”, diz o diretor. “[John David] está interpretando um agente conhecido pelo termo” protagonista “. Tenet é o nome da organização na qual o protagonista é induzido.” Dado o amor de Nolan pelos filmes de 007, parece que o personagem de Washington pode ser o mais próximo ainda de um Bond preto, embora o diretor seja rápido em apontar que o protagonista não é um clone da criação de Ian Fleming. “Ele está presente no coração do filme, mas, ao contrário de Bond, ele tem uma acessibilidade emocional muito calorosa.” Enquanto isso, Pattinson interpreta alguém chamado Neil – possivelmente. “Achamos que ele pode se chamar Neil”, diz Nolan, rindo. “Você nunca sabe realmente o que está acontecendo com essas identidades.” Nolan descreve Neil – ou como ele é chamado – como um “personagem levemente malandro que opera dentro do que eles chamam de mundo crepuscular de agentes em diferentes serviços secretos”.

Quanto ao vigarista oligarca russo de Branagh, “Ele é um vilão, não há dúvida sobre isso”, diz . “Quando Chris me colocou em cena, ele se esforçou ao máximo para garantir que eu entendesse que esse personagem era incessantemente sombrio e que ele era um indivíduo impiedoso, avarento, cruel, desesperado e terrivelmente perigoso”. Debicki retrata sua esposa distante, “que se meteu em uma situação muito complicada com o marido”, diz Nolan. “O relacionamento dela com John David é ambíguo e complicado.”

Washington, Pattinson, Debicki e Branagh estavam no primeiro trailer do filme e em um segundo clipe promocional lançado em maio. Mas Taylor-Johnson parece estar ausente deles e não aparece em nenhuma das fotos do filme até agora. “Aaron Taylor-Johnson está de fato no filme”, diz Nolan. “Ele é uma parte importante do filme. Sim, não há fotos dele, isso é verdade. Ele é brevemente vislumbrado no [segundo] trailer. Ele também é completamente irreconhecível. Há todo tipo de coisa que acontece em termos de onde a história se passa à medida que o filme se desenvolve e onde acaba nas fases posteriores que não queremos estragar para as pessoas. ”

Nolan gravou Tenet em sete países diferentes, algo que agora parece próximo à ficção científica neste período de bloqueios e quarentenas. Na época da visita da EW, a produção da Tenet havia filmado na Índia, Itália, Noruega, Dinamarca, Estônia e Reino Unido. “Acho que se você está trabalhando em um filme em que entra na terça-feira e há uma tela azul e depois muda na quarta-feira para uma tela verde, ninguém vai se importar”, diz Nolan. “Mas se [você está] em Tallinn, na Estônia, e então você entra em um avião e está em Amalfi, na Itália, é uma incrível mudança de cenário e traz consigo um sentimento que se infiltra no filme.”

O elenco e a equipe passaram sete semanas filmando na Estônia – mais do que o cronograma inteiro de filmagem de muitos filmes – incluindo uma sequência elaborada de perseguição de carros. “É engraçado, eu fiz um dia de treinamento para dirigir acrobacias”, diz Pattinson. “Eu pensei que não faria nenhuma manobra, mas acabei fazendo várias e várias. Lembro-me de fazer uma sequência em que eu e John David estamos em um BMW com uma câmera IMAX montada no capô, o que significa que você não pode ver nada através do para-brisa, basicamente. E também, se você girar um pouco demais para a esquerda ou direita, a plataforma bate na estrada, o que é meio assustador. John David estava virando para mim e dizendo: ‘Você é um motorista de acrobacia ou algo assim? Você já ensaiou isso? Em circunstâncias normais, você realmente não teria permissão para fazer isso. Mas Chris tem tanto controle sobre o set que você consegue fazer as coisas divertidas, que normalmente seriam reservadas para especialistas e não para pessoas que nem conseguem estacionar em paralelo. ” (Para que ninguém tenha dúvidas sobre a segurança no set, “Rob está sendo tipicamente atrevido e depreciativo”, diz Nolan. “Seu dia de ‘treinamento de acrobacias’ foi na verdade um dia de avaliação de habilidades por nossa equipe de acrobacias que o encontrou. ser um excelente motorista, mais do que capaz de realizar com segurança os disparos necessários, nenhum dos quais, para o registro, era tão difícil quanto o estacionamento paralelo. ”)

A alegria de Pattinson por ter permissão para fazer “as coisas divertidas” foi um subproduto do desejo de Nolan de filmar o máximo possível, sem recorrer a CG ou outros efeitos; quando ele precisava destruir um avião, ele não usou miniaturas – ele comprou um velho Boeing 747 e o explodiu. “Acabamos com um pequeno número de tomadas de efeitos visuais”, diz Thomas. “Inicialmente pensávamos que deveríamos estar na faixa de 700 a mil contagens, mas acabamos com bem menos que isso porque conseguimos fazer praticamente.”.

No início de março, quatro meses após a visita da EW ao deserto da Califórnia, Pattinson, Washington e Debicki se encontraram em uma ambiente menos empoeirados de um estúdio de fotografia em Londres – onde Pattinson estava filmando The Batman – para a sessão de capa da EW Tenet. Quando agradeci a Pattinson por ter aparecido, apesar das crescentes preocupações com o COVID-19, ele deixou claro que não era grande coisa. Na época, se você estava no Reino Unido ou nos EUA, o coronavírus não era grande coisa. Apenas cinco dias antes das filmagens, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson se gabou orgulhosamente de como ele estava cumprimentando pacientes do hospital que sofriam de coronavírus. A situação piorou rapidamente, é claro. No início de abril, Johnson, atingido pelo COVID-19, estava lutando por sua vida em um hospital de Londres e a maior parte da América, incluindo sua indústria cinematográfica, se auto-isolava.

O compositor Ludwig Göransson estava prestes a iniciar as sessões de orquestra para a trilha sonora quando o país fechou. “Temos gravado os músicos em suas casas individualmente e depois o meu engenheiro está montando”, diz Göransson, cujos créditos incluem Pantera Negra e The Mandalorian. “Você não escuta o som tradicional da orquestra, mas o som que ouvimos é realmente muito adequado para a partitura”. Nolan afirma que a pandemia não foi realmente um problema em termos de finalização do filme. “Felizmente para nós, nosso processo criativo há muitos anos tem sido bastante adaptável às condições atuais”, diz ele. “Eu sempre gostei de fazer os efeitos visuais com o Double Negative em Londres, então desde Batman Begins, fazemos isso remotamente. Conseguimos adaptar nosso processo sem compromisso criativo e sentimos muita sorte nesse sentido. ”

Enquanto tudo estava bem com o filme, os cinemas em que Nolan esperava exibir Tenet ficaram fechados. Defensor ardente da experiência do cinema , Nolan é um dos poucos diretores que ainda filma em filme, e não digitalmente. Em 20 de março, o Washington Post publicou um artigo apaixonado que ele escreveu, pedindo ao governo que ajudasse funcionários e estúdios de teatro a se combinar estrategicamente com a comunidade de exposições teatrais após a pandemia. “Quando essa crise passar”, escreveu o diretor, “a necessidade de engajamento humano coletivo, a necessidade de viver, amar, rir e chorar juntos será mais poderosa do que nunca”.

Tenet será o filme para atender a essa necessidade de filmes após o bloqueio? O tempo – essa força principalmente irreversível – dirá. O próprio Nolan é cauteloso ao discutir o peso da expectativa que foi colocada no filme como o filme que poderia levar o público de volta. “Eu realmente só posso assumir a responsabilidade de terminar o filme e tentar fazer um entretenimento que valha a pena voltar ao cinema”, diz ele. “Esse é o tipo de filme que sempre tentamos fazer, e Tenet não é exceção.”

Fonte: Entertainment Weekly | Tradução: Amanda Gramazio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo