Será que existe “felizes para sempre” depois de um conto de fadas?

Se há uma coisa que os filmes de Hollywood e casamentos reais têm em comum, é a sacrificar a realidade em nome do conto de fadas. Para a mídia (e de fato, a maioria de nós) o príncipe e sua esposa não são pessoas, são personagens de uma história. No mundo moderno dos contos de fadas, o romance pode eventualmente falhar? Quais poderiam ser as verdadeiras consequências de se apaixonar por um vampiro? A equipe do site Guardian conversou com um psicólogo à respeito do assunto. Confira um trecho à seguir.

Edward Cullen e Bella Swan de Crepúsculo embora possam ser o arquétipo do romance de conto de fadas do século 21, a história de uma máquina de matar de 104 anos de idade que se apaixona por uma garota de 17 anos, desprovida de personalidade, é também a mais controversa. As razões são muitas, mas além de não ter nada em comum e uma diferença de idade matematicamente semelhante a um homem de 60 anos sair com alguém de 10 anos, há também a questão de que Edward Cullen é apresentado como condescendente, misógino, arrogante, violento e sem alegria enquanto Bella é perturbadoramente submissa. Leia Mais…

4 comentários em “Será que existe “felizes para sempre” depois de um conto de fadas?

  1. Concordo meninas com ambas, mais infelizmente tem pessoas que detorpam as coisas e ver o que querem. E também vamos convir que o filme (execeção para Twilight – Catherine, conseguio retartar com maestria a essencia da história; Chris em Lua Nova), não ajudarou a quem não leu os livros a entender verdadeiramente a história. O Eclipse, foi o cumulo do absurdo, principalmente, na cena que Bella deixa Edward para ir de moto com Jacob. E nos que lemos os livros sabemos que nada disso ocorreu. Quem viu e não leu o livro ficou chamando ele de troxa e corno no cinema (principalmente garotos e homens que acompanharam as namoradas), foi o que mais eu ouvi no cinema. Sem contar as outras atrocidades que a Melissa R, fez com o filme. Querem promover o Jacob a qualquer custo. E transforma a Bella na “sem noção” e “infiel”.

  2. Criticar sem ler é uma prova de, no mínimo, burrice. Só quem não leu a obra pode afirmar que Bella Swan não tem personalidade ou que Edward Cullen é misógino. Certamente que escreveu esta pseudocrítica também não sabe o significado da palavra “misógino”. Se o tal indivíduo é mesmo psicológo deve ser daquele tipinho que tirou o diploma colocando o nome nos trabalhos, colando nas provas e passando nas disciplinas com a nota mínima. Um bossal! Ah, certamente ele também não sabe o que que dizer “bossal”.

  3. O q é argumentado no artigo é a imagem q os filmes passam, e qm Ñ leu os livros tbm acha isso! Essa possessão e submissão.
    Meu IRMÃO, q ñ gostou do livro, por isso ñ os leu, disse q a Bella é uma tonta q parece prostituir-se para Jacob e Edward. Até repreendi ele por dizer isso O.O
    Mas no filme, parece isso msm… FZ O Q?

    É + fácil nem ligar…

  4. Esse psicólogo que me disculpe, mas a Bella não tem nada de submissa e ele não tem nada de possessivo e controlador. Ele distorceu a proteção e o amor com possessão. Coitado…é só mais um entre tantos homens que tiveram sua real identidade roubada! PROTEÇÃO É MAOR
    …não possessão!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo