Robert revela que foi colocado em treinamento de mídia na época de Twilight e mais:

Robert conversou com a The Talk, onde falou sobre Life, os seus projetos com grandes diretores do cinema e também revelou que a Summit Entertainment (estúdio de cinema de Twilight) o colocou em um treinamento de mídia para as entrevistas. Confira tudo aqui embaixo transcrito pela nossa equipe:

ROBERT PATTINSON “TODOS QUEREM QUE VOCÊ SEJA TÃO DOCE”

Q: Sr. Pattinson, você está desiludido com sua carreira?

Robert: Eu acho que a maioria dos atores ficam desiludidos e dizem “Oh, eu pensei que isto iria ser um caminho, e é outra coisa”. Eu nunca pensei que alguma coisa iria ser de qualquer maneira particular à todos! Você sabe, nos bons tempos e maus tempos, todos são apenas novas experiências. Então, eu não posso estar desiludido com alguma coisa porque eu não tenho expectativa com tudo.

Q: E sobre as expectativas das pessoas em você?

Robert: Eu nunca tinha realmente reconhecido as expectativas das pessoas em mim. A maioria dos tipos de atores de cair no trabalho se sentem como se eles estivem indo para obter “descoberta”, como, descobri se eles são uma fraude ou algo parecido. Eu acho que um monte de gente se sente assim. Eu fiz um filme com Anton Corbijn chamado Life onde interpretei o fotógrafo que tirou as fotos famosas de James Dean e há uma série de paralelos entre a carreira de ator e uma carreira de fotógrafo.

Q: Como o que?

Robert: Ambos são quase inteiramente dependentes do material, especialmente se você está fazendo coisas como tirar fotos de pessoas famosas e as pessoas realmente talentosas que são incrivelmente interessantes e carismáticos. Como ator, você quer ser um artista, mas você é tão dependente de todo mundo! E mesmo se você é grande em alguma coisa, só há poucos atores que o público reconhece que eles foram a razão de algo bom. Como um fotografo, é muito difícil afirmar coisas também.

Q: Como alguém que tem sido perseguido por paparazzi mais do que a maioria, foi catártico para trocar de papéis e interpretar o fotógrafo por uma vez?

Robert: Foi muito estranho caminhar até o Chateau Marmont como um paparazzi. Foi muito estranho no local real. Eu não sei se foi catártico. Talvez teria sido se, por causa de ele ser paparazzi, ele acaba sendo espancado até a morte…

Q: Eles são apenas pessoas também…

Robert: Então… na verdade, não todos. Isso é provavelmente porque meu personagem estava tão cheio de auto-aversão, porque ele é um paparazzi (risos).

Q: Quando sua carreira começou você teve alguns problemas com os fotógrafos de si mesmo.

Robert: Quando o primeiro Twilight aconteceu, um monte de pessoas da franquia no momento estavam sob controle rigoroso por parte dos estúdios e outras coisas, então eles fizeram isso bastante “Garoto amigável”. E eu acho que nos primeiros meses eu continuei sendo fotografado, como, bebendo e fumando cigarros e coisas. Então eu acho que é o tipo de por que as pessoas diziam que eu era um pouco diferente. Mas eu acho que a paisagem mudou muito. Lembro-me até mesmo pessoas como Colin Farrell e outras coisas. Eu acho que quando ele foi super selvagem, apenas 7, 8 anos atrás, mas eu não penso mesmo que você está autorizado a ser mais assim.

Q: Por que não, o que iria acontecer?

Robert: Se você fizer isso agora, você apenas não consegue emprego. De tudo. Todos querem que você seja tão doce. Isto é ruim. Então, todo mundo é exatamente como viciados em drogas secretas. (risos).

Q: Você teve treinamento de entrevistas alguma vez que assinou para fazer Twilight para manter todos os seus comentários doces?

Robert: Sim, a Summit me colocou em treinamento de mídia, porque eu estava fazendo muitas entrevistas estúpidas. Eu só queria dizer piadas e coisas e, em seguida, eles enviaram um e-mail mais tarde dizendo que eu me recusei a cooperar com o treinamento de mídia! É o e-mail favorito da minha agente, ela ficou porque ela achava que era tão divertido que eu me recusei a ceder para o treinamento de mídia.

Q: Iria ser possível para você continuar tendo amizade com um jornalista?

Robert: Eu acho que funciona até chegar a um certo nível de fama. Antes do primeiro Twilight sair, havia um par de jornalistas que eu tinha. Eles fizeram bons perfis e outras coisas e eles tinham tipo de campeão que você era um pouco. Mas eu acho que se você faz muitas entrevistas, as pessoas não estão interessadas nas nuances de você está falando. Você tem que apenas dizer muito e acaba se repetindo. Os editores são como “Faça ele dizer alguma coisa que o faz soar como um idiota ou leve-o a dizer algo controverso”.

Q: Isso é muito bonito exatamente como ele vai para muitas publicações, infelizmente.

Robert: Sim, e eu acho que você não pode realmente ser fechado com um jornalista quando você pode ver eles, como, precisando você que você diga alguma  coisa ruim para o próprio trabalho deles. Eu sei que atores que tem feito acordos com paparazzis e outras coisas – ele sempre sai pela culatra. Sempre. Porque, como você apenas não deve. Assim que você começar a jogar merda em volta, você vai ficar coberto de merda.

Q: Bem, depois que Twilight terminou você tem a escolha de trabalhar com autores como Herzog, Cronenberg, Anton Corbijn, e James Gray em projetos menores, onde a exposição é muito diferente.

Robert: Os últimos anos eu tenho feito, basicamente, coisas apenas para o diretor. Depois de trabalhar com Cronenberg em Cosmópolis foi inaugurado coisas. As pessoas se aproximam de você de uma maneira diferente. E agora eu tenho feito algumas outras coisas e que tipo de apenas funciona em um rolo, ser capaz de trabalhar com este tipos de autores. É muito bom fazer partes menores, de modo que o filme não confia totalmente em o que eu faço na mesma. Eu começo a trabalhar com quem eu quero trabalhar e não é minha culpa se ele não fazer dinheiro!

Q: Depois de trabalhar com alguns destes diretores, houve um momento onde você percebeu a diferença em como eles funcionam?

Robert: Houve um momento no final de The Rover. Nós tínhamos acabado de terminar e David Michôd estava de pé no meio do estacionamento onde estivemos gravando. Ele parecia um pouco estranho e estava assistindo as pessoas embalando as coisas. E eu disse “Você está bem?” e ele disse “Sim, eu apenas acho que só vou ter como mais seis dias desses em minha vida, então eu apenas quero sentir isso por um segundo”. É tão engraçado a diferença entre alguém que está fazendo um trabalho essencialmente para seu próximo trabalho, ou alguém que tenha escrito isso, o produziu.

Q: Alguém que vai dedicar vários anos de sua vida a ele quando está tudo dito e feito.

Robert: Sim, você pode sentir isso. É muito mais emocionante e divertido para tentar cumprir o sonho de alguém. Uma grande parte do tempo que você está trabalhando com alguém e eles realmente não sabem o que querem e eles nem sequer necessariamente querem fazer o trabalho que estão fazendo. Então você está apenas tentando não se afogar e eles estão em pânico o tempo todo. É horrível. Mas, com as pessoas que estão confiantes e acreditam em seus projetos, é uma experiência completamente diferente.

Tradução: Barbara Juliany

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.