Robert fala sobre seu passado, presente, futuro e sua ligação com Cinquenta Tons de Cinza

Robert Pattinson, que esteve no 65º Festival de Berlim com Anton Corbijn, para “Life”, explica porque ele não ficou para a exibição do filme e fala sobre seu passado, seu futuro e sua conexão com ‘Cinquenta Tons de Cinza’ para a Reuters: 

Era a manhã depois da noite anterior com o ator britânico Robert Pattinson quando ele compareceu a Press Junket na terça-feira (10 de fevereiro), depois que lançou seu novo filme, ‘Life’ de Anton Corbijn  no Festival de Filmes de Berlim. Contudo, ao contrario das outras pessoas no tapete vermelho, Pattinson não ficou para a exibição do filme.

“Na verdade eu não assisti ontem à noite” Ele admite. “Porque depois de Cannes eu literalmente fiquei tão… Eu sinto que perdi alguns anos da minha vida assistindo a exibições, apenas sentando lá com o coração quase sendo arrancado do seu peito. Eu apenas não consigo mais, então eu vou assistir, provavelmente amanhã. Então sim, eu não sei qual é a reação. Eu só estou um pouco, em uma transe o tempo todo, mas sim, parece que as pessoas gostaram. Ouve alguns aplausos legais e coisas do tipo.

Pattinson chamou atenção do publico primeiro, fazendo o malfadado Cedrico Diggory em ‘Harry Potter e o Cálice de Fogo’ em 2005. Porém, foi em 2008 que ele explodiu em cena interpretando Edward Cullen em ‘Crepúsculo’. Questionado se fazia alguma ideia do que a realidade da fama seria antes de ‘Crepúsculo’, ele respondeu: “Eu não sei o que eu pensei que iria ser. Quero dizer, é estranho, eu continuo sentindo que estou fazendo a mesma coisa. Quero dizer, eu acho que antes de ‘Crepúsculo’ eu estava realmente apenas fazendo audições para absolutamente tudo e apenas tentando conseguir alguma coisa, então eu acho que é uma pequena carreira diferente, mas quero dizer, depois é tão raro que eu ache alguma coisa que eu não apenas goste mas que me faça sentir que eu posso adicionar algo ou fazer por completo, então estou realmente tentando encontrar alguma coisa para fazer.” “Sempre me surpreende quando um roteiro chega e eu fico tipo, “oh!”. Eu acabei de entrar nessa coisa “‘Brimstone” – é apenas uma pequena parte em alguma coisa, mas eu fiquei tão surpreso com essa parte que… Eu realmente, realmente tive um ideia de como fazer e eu estou sempre tipo ‘Oh, da onde essa ideia veio?’ Eu estou sempre surpreso que eu tenha tido uma ideia em algo, então sim, é uma carreira um pouco estranha.” Ele completou.

O próximo grande filme depois de Pattinson com ‘Life’ no Festival de Filme de Berlin, será a premiere de ’Cinquenta Tons de Cinza’, estrelando Jamie Dornan. Estranhamente, a autora do bestseller afirma ter se baseado no filme ‘Crepúsculo’, portanto, o culto herói Christian Grey é baseado na representação de Pattinson do vampiro Edward Cullen. “É um pouco estranho e também eu conheço Jamie de verdade, eu conheço o Jamie tão bem por uns dez anos, então… Quero dizer, eu acho… Eu na verdade não li os livros, mas eu acho que deve ser muito, muito diferente. Eu não consigo ver como isso pode funcionar se não for diferente. É incrível, é essa base de fãs. Elas… Eles têm… Tem algum tipo de conexão profunda que um bando de pessoas tem com isso e eu nunca soube o que é, você sabe, é exatamente o que é. Mas você consegue ver isso, até na premiere ontem à noite, essa mulher que tem vindo por anos em premieres e coisas do tipo. É muito estranho.” Pattinson disse.

Pattinson tem regularmente participado de festivais de filme Europeus nos últimos anos, escolhendo filmes que são distantes do Edward Cullen de ‘Crepusculo’. De qualquer modo, enquanto os fãs de ‘Crepúsculo’ continuam por aí, em Berlin as garotas acamparam desde a manhã da premiere para tentar conhecer seu ídolo, Pattinson disse ter “acalmado”. “Eu costumava ser, eu costumava só deixar rolar de verdade, realmente entendi e eu me tornei um pouco mais calmo recentemente. Também, eu tenho passado mais tempo em Londres e é completamente diferente em Londres. É como, se as pessoas te pedem uma foto em Londres e você diz “não”, não é como… Boa parte do tempo, em L.A. especialmente, as pessoas ficam tipo “por que?”, você sabe, tipo: “Sério? Você quer que eu explique o por quê? Eu vou apenas tirar a foto então.” Em Londres, as pessoas não fazem isso então é um pouco diferente sim, é definitivamente mais calmo.” Ele disse.

Embora ele não quisesse comentar sobre onde ele estaria daqui a 10 anos, ele admitiu: “Nos próximos anos eu sei apenas que depois do ano passado dois dos meus filmes meio que… Um foi desfeito e o outro foi adiado para esse ano e eu terminei meio que apenas esperando por um trabalho por séculos e eu estava tipo ‘okay, eu preciso estar em algo, eu nunca mais vou ter um ano como esse novamente. Eu vou ser muito mais prolífico na minha taxa de produtividade. ’ Porque eu penso e se subitamente eu chegar aos 30 e bem, você fica tipo “Argh! Eu preciso fazer um monte de coisas!” Então eu definitivamente vou ser muito mais produtivo.”

 

Fonte | Via | Tradução: Gabriela Araujo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo