Em 2009, a Mandi e a Nanna, na época administradoras do RPBR, conseguiram uma entrevista exclusiva com Justin Kelly, produtor do filme How To Be (Uma Vida sem Regras).

A entrevista foi concedida pelo skype e foi bem descontraída! O diretor falou como foi fazer um filme independente e como foi trabalhar com Robert. Vejam um trecho da entrevista a seguir:

O filme foi exibido em vários festivais, inclusive em um aqui no Brasil. Vocês tiveram algum retorno financeiro com isso?
Não, nós não recebemos retorno financeiro de nenhum festival. Nós temos que passar o filme para distribuidores, para conseguirmos um retorno financeiro. Os distribuidores tentarão colocar o filme em cinemas, ou DVD ou até mesmo TV. Assim que o dinheiro será feito, mas não em festivais.

Você acha que ter Robert Pattinson no filme, ajudou na divulgação?
Sim, definitivamente. Quando decidimos ter o Robert no filme ele só tinha feito um filme (Harry Potter e o Cálice de Fogo) e ele não tinha certeza sobre atuar, ele não tinha certeza se ia continuar atuando porque ele não sabia se gostaria dos personagens que teria que atuar, então ele aceitou fazer parte de How To Be como uma chance, para ver se ele continuaria atuando e ele não era uma estrela e nós costumávamos brincar, enquanto estávamos filmando How To Be, que o Robert seria uma estrela e que nós não conseguiríamos segurar ele e agora, dois anos depois olha o que aconteceu. Ele é um cara muito legal, mas agora tem muita gente em volta dele, querendo controlá-lo, então é difícil conseguir falar com ele.

Para ler toda a entrevista, cliquem aqui.

No sábado, dia 30/01, nossa equipe proporcionou a exibição do filme How To Be como parte do Projeto Luz, Câmera, PATTINSON! e se alguém perdeu a chance de acompanhar junto conosco, entre em nosso grupo no Whatsapp e no canal do Telegram para verem ou reverem o filme.

Diz pra gente o que você achou!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.