Entrevista de Robert com a rbb-online

Robert concedeu uma entrevista para a rbb-online onde falou sobre seu atual filme, Life. Falou sobre seu personagem e sobre a impressão que ele tem sobre os fotógrafos. Veja a entrevista completa traduzida:

Estou exatamente onde eu queria estar. Mesmo após ter atuado em dois filmes de Cronenberg, muitos ainda duvidam das habilidades de atuação da ‘Estrela de Crepúsculo’, Robert Pattinson. Na segunda-feira, ele apresenta o seu mais recente filme “Life” no Berlinale – juntamente com o diretor Anton Corbijn. Nesta entrevista, o ex-vampiro explica como ele se conectou com o filme e por que ele sente que sua carreira está em um bom lugar.

Sr. Pattinson, James Dean ainda é um ícone na sua geração?
RP: Definitivamente. Especialmente quando eu era jovem. Eu sabia quem era James Dean antes mesmo de saber que eu queria atuar. Eu tinha lido muitas de suas entrevistas. Ele foi definição de estilo e tem uma influência sobre todos os atores, simplesmente através de sua fisicalidade. Qualquer um que está inclinado para a frente, tentando parecer legal, está copiando James Dean, realmente (risos).

Você faz o papel de um fotógrafo que tem uma certa ironia. Na vida real, muitas vezes você entra em confronto com os fotógrafos que por muitas vezes faz a sua vida um inferno. Como foi a experiência, reproduzir um fotógrafo?
RP: eles ainda estão fazendo isso. Mas para ser honesto, eu tinha uma noção muito preconcebida dos fotógrafos. Assim como Anton Corbijn, nossas idéias não poderiam ter sido mais diferente. Para Anton, todo o filme é sobre a natureza do fotógrafo. Não vi Dennis como um fotógrafo, mas alguém, que em todas as circunstâncias queria ser um artista. Ele viu um artista em James Dean como ele via em si mesmo. Para mim, o filme é sobre aquele ciúme: por que é que Dean pode ser percebido como um artista e não eu? Isso foi o que eu gostei.

Como ator, você oferece um monte de si mesmo e, ao mesmo tempo abre mão sobre a responsabilidade do diretor. Como você lida com o fato de que você pode influenciar o produto final apenas indiretamente?
RP: É sempre um bocado de jogo, mas também uma questão de confiança. Eu tinha conversado com Anton Corbijn por uma hora, um ano antes de começarmos a filmar. Eu só tinha desnatado o script meia hora antes do nosso encontro, eu queria impressioná-lo. Ele poderia ter me dito nada. Apenas quando começamos a filmar eu tenho uma sensação para a história.

O que você gosta sobre o filme?
RP: O filme tem um tom estranho, conta sobre tantas coisas universais, mas também é muito pessoal. Por exemplo, se concentra na situação em que, um artista, na posição em seu próprio caminho, se bloqueia e não explora todo o seu potencial. Isso é algo que eu posso me relacionar.

Você ficar no seu próprio caminho, muitas vezes?
RP: Muitos atores! muitas vezes a sensação de que eles estão apenas fingindo, e têm medo de que algum dia alguém percebe que eles não podem agir. Esse medo me impede de muitas coisas que eu realmente quero fazer. E Dennis, também, em vez de acreditar em si mesmo, vem com uma desculpa atrás da outra a respeito do por quê ele não é o cara certo para o trabalho. Eu poderia identificar com isso.
:
Onde você obtém a sua autoconfiança como ator?
RP: Eu parei de pensar nisso e apenas faço. Muitas vezes eu me preocupo só mais tarde, mas desde isso é então, Indiferente realmente importa. E eu sempre me lembro que eu realmente gosto do que estou fazendo.

Já faz 10 anos desde que você começou sua carreira. Tempo para uma resume. Quão satisfeito você está com a sua carreira?
RP: Na verdade estou exatamente onde eu queria estar. Depois de Crepúsculo eu sabia que ia demorar um pouco para chegar ao próximo nível, mas estou chegando lá gradualmente. É claro que estou sempre tentando melhorar como ator, mas depende muito do material que você oferece. Atuar é, claro, o esboço, mas cada diretor oferece diferentes possibilidades.

Como foi para você quando a Saga Crepúsculo terminou?
RP: Eu não tinha ideia do que fazer comigo mesmo e, em seguida, veio a oferta de Cosmopolis, direto, a partir do nada, três semanas antes do término das gravações de Crepúsculo. Ele mudou tudo. De repente, os filmes que eu gosto estão ao meu alcance, para mim, como um ator.

 

Fonte  | Tradução: Barbara Juliany

2 comentários em “Entrevista de Robert com a rbb-online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo