O Coming Soon da Itália traz novos vídeos com imagens inéditas dos bastidores do filme “Cosmópolis” e entrevistas no set com Robert Pattinson e o diretor, David Cronenberg. Clique em ‘continue lendo’ para conferir o outro vídeo.

– Menções em 1:00 e 2:50 min –

Rob: Eu li o script eu acho que um ano antes e eu achei fantástico. Eu acho que eu tinha enviado apenas para ver o meu interesse e eu estava interessado, mas havia outros atores ligados ao projeto e eu era muito jovem. Eu estava em um momento em que eu duvidava mim e eu pensei que eles nunca me ofereceriam um projeto como esse e, por acaso, no ano passado apenas aconteceu e eu disse “Sim, você quer fazer”. Eu fiquei surpreso e não sabia como eu iria interpretar, mas eu amo os filmes de David. Teria sido um erro não fazê-lo.

David: O livro é de alguma forma muito nova-iorquino, mas é universal também de outra maneira. Isso é impressionante porque o livro foi escrito na década de 2000 e continua sendo relevante hoje. Onze anos depois, sua compreensão da posição na crise econômica mundial, Wall Street entrou em colapso e todas as outras coisas, isso foi muito profético neste livro. É mais sobre Nova Iorque ou sobre o mundo das finanças em geral? Até que ponto devemos ser precisos para representar Nova York? Então, senti que não era tão necessário filmar em Nova Iorque.

– Menções em 0:20 e 2:00 min –

David: Eu falei com os atores, eu não queria que eles se surpeendessem com o fato de que a maior parte do filme acontece em uma limusine para alguns personagens e suas cenas serem internas. Eu agradavelmente disse que isso era a minha versão de Das Boat, um filme cuja ação acontece em um submarino. Eu incentivei a todos para assistir ao filme Lebanon que se passa dentro de um tanque. Tivemos as mesmas preocupações em como a limosine era um patamar e precisava de ser flexível de modo que se pudesse rodar em diferentes ângulos. Também significou que eu não poderia estar na limusine com os atores, eu falei e ouvi com os meus fones de ouvido e falei com um micro.

Rob: O roteiro tem muitos diálogos e foi surreal porque nós poderíamos tomar qualquer direção, de modo que qualquer base ou ininterrupção que você poderia ter ajudaria. Se você pudesse… se tudo estava pronto para a cena, você poderia mudar qualquer lugar. Eu estava completamente louco. Estar constantemente sentado… força você a se comportar de uma certa maneira. Foi bom ter atores que chegavam a toda hora. Nenhum deles era tão familiar para mim, desde Jay Baruchel, que fez o primeiro dia de filmagem comigo. Depois disso, ninguém tinha ficado na limusine tanto quanto eu. Eles chegaram e foram para incluir um monte de coisas e eu estava sempre confortável no meu lugar. Eu vi o que eles fizeram para entender suas performances e foi legal. Todos os outros se sentiram como se fossem estranhos na minha área.

Via | Tradução: Milla Correa