A revista Faces da Suíça realizou uma entrevista com Robert Pattinson recentemente e o ator comentou sobre o comercial para a Dior, falou sobre cheiros e memórias, além de música e moda.


x Scans > Internacionais > 2013 > Outubro 2013 – Faces Magazine (Suíça)

Que tipo de pessoa é o homem que veste Dior Homme ?
Ele cheira incrivelmente bom! (risos)

O filme da campanha da Dior Homme começa com uma cena na praia. O que você se lembra disso?
Nós dirigimos um pequeno BMW ao longo da praia. Se você pisasse no freio o carro iria imediatamente atolar na areia, de modo que cheguei a 80 milhas por hora, com a câmera a bordo. E eu como motorista estava basicamente responsável pelos outros três modelos. A próxima coisa que me lembro é o carro em alta velocidade entrando no mar. Todo o para-choque caiu, foi selvagem! (risos)

Você como o novo rosto [do perfume], Dior Homme representa uma geração completamente nova de homens jovens. Como você os descrevia?
Acabei de fazer 27 e só agora pude perceber que as pessoas não me vêem mais como uma criança. Parece estranho finalmente ver a si mesmo como um adulto e ser tratado como um pelos outros. Para descrever a minha geração é difícil, porque para nós nos últimos dez anos estamos em uma espécie transição, e alguns de nós ainda tentam descobrir o que fazer com tudo isso. Pelo menos esse é isso que acontece comigo. (risos)

Muitas vezes, certos cheiros estão ligados a memórias. Você sente isso?
Lembro-me de meu pai, que sempre usou Brut de Fabergé. Ele ainda tem aquela fragrância e isso me faz lembrar dos meus primeiros tempos de escola. Por mais estranho que pareça, eu ainda sei exatamente como ele cheira, é como se de alguma forma tivesse marcado em minha memória. Mais tarde, quando eu tinha uns 12 anos, eu comecei a falar com as meninas e pensei que seria legal usar um perfume ao fazer isso. Lembro-me também de férias em Portugal. Na época, eu pensei que usando um perfume fresco me faria parecer mais velho. Assim que o cheiro de gel de cabelo e perfume tinham sido meus companheiros constantes durante esse verão. (risos)

Existem cidades ou países que fazem você se conectar com certos cheiros?
Meu pai é de Yorkshire, onde há um grande número de campos e flores silvestres – que o cheiro é simplesmente incrível. Nós sempre passamos o Natal lá e mesmo que eu não tenha estado lá há anos o cheiro nunca me deixou.

Você tem um cheiro favorito?
Eu gosto do cheiro das pessoas. (risos) Eu sei que soa um pouco estranho, e provavelmente tem algo a ver com feromônios, mas muitas vezes você pode julgar o caráter de uma pessoa pelo seu perfume. Nós nos aproximamos de pessoas que cheiram bem, um processo que provavelmente acontece completamente inconscientemente.

O que luxo significa para você?
Esforço. Na minha opinião o verdadeiro luxo é não ter que se preocupar com nada. E quando nós filmamos a campanha para Dior Homme sentia exatamente assim.

O que é um dia perfeito para você?
Eu realmente não posso dizer, eu gosto de fazer coisas. No momento estou tentando trabalhar em uma história junto com um amigo. Gosto de comunicar e partilhar ideias com os outros e trabalhar em um projeto. E de vez em quando eu adoro lutar com as pessoas. (risos)

Você ainda toca violão e piano?
Eu ainda toco violão e apenas recentemente comecei a praticar um pouco mais frequentemente novamente. Mas eu não me apresento publicamente há anos. (risos)

Atualmente, você tem uma banda favorita ou uma canção favorita?
Para ser honesto, isso é coisa muito estranha – música eletrônica, por exemplo, algo que eu nunca tinha ouvido antes. Um casal de amigos meus tocam nesta banda impressionante, Death Grips, e que de alguma forma realmente me cativaram.

Como você descreveria seu estilo pessoal?
Na verdade, eu só tenho algumas peças básicas que eu uso todos os dias. Para mim, o que mais importa é saber se algo se encaixa bem ou não. Eu realmente não me importo com mais nada, apenas como as coisas se encaixam. Assim, eu costumo usar a mesma peça de roupa até que ela literalmente ande sozinha por aí.

Quem é seu ícone fashion?
Eu sempre admirei as pessoas que se vestiam praticamente. De alguma forma eu acho que isso é especialmente viril. Eu gosto de roupas que duram por muito tempo, até que tudo o que resta é o material que eles foram feitos. Estou pensando em roupas de Jack Nicholson em “The Shining” ou “One Flew over the Cuckoo’s Nest”, na verdade, praticamente tudo o que é usado nesses filmes. Quando eu era mais jovem eu sempre tentei vestir exatamente assim.

Você nunca parece descansar. Mas se você fizesse o que é o seu lugar favorito para relaxar?
Em algum lugar na Inglaterra.

Sua peça favorita da literatura ?
“Everything ” por Martin Amis.

Que palavra que você mais gosta de ouvir?
“Sim”!

Crepúsculo te tornou famoso, Cosmópolis mudou a sua imagem, e o filme da campanha de Roman Gavrais para Dior está adicionando algo inesperado à sua carreira. Como é o doce cheiro do sucesso?
Ser um ator é algo incrivelmente estranho e a definição de sucesso – o que em si já é estranho – as mudanças ao longo dos anos. É claro que o sucesso também tem um lado bom: eu não tenho que me preocupar só em ter que trabalhar pelo o dinheiro [não mais], pelo menos por uns anos. Tenho um enorme respeito por todos esses filmes é por isso que eu tento ter o tempo e energia necessárias para tomar decisões emocionantes, decisões que nem todos tomariam. Eu apenas disse que ” tentar”, é mais engraçado, na verdade, porque eu não me sinto como se eu já tivesse algum tipo de sucesso. Mas há algo sobre Dior que realmente funciona para mim – a própria marca continua estoicamente independente e que é exatamente o que eu gostaria de tentar para mim no momento.

Fonte | Tradução: Ana Paula