Em nova entrevista para a revista Interview da Alemanha, Robert Pattinson aproveita para contar novos detalhes do comercial para a Dior Homme, em uma longa e divertida conversa.


x Scans > Internacionais > 2013 > Agosto 2013 – Interview (Alemanha)

Rob: Espero que você não se importe que eu fume.

Entrevistador: O que você fuma?

R: E-cigs (e-cig é um dispositivo quem simula o ato de fumar e libera vapor ao invés de fumaça, também conhecido como cigarro eletrônico). Estou tentando parar a algum tempo, mas esse é único: cada cigarro pode ser fumado por quanto tempo você levaria para terminar uma embalagem de cigarro. E se ele para de brilhar, basta jogá-lo fora. Assim como com cigarros reais. Gosto disso. Quer um?

Claro.
R: E?

Eu gosto de tudo que fuma.
R: Esses são extremamente fortes. Eu sempre vou na 7-Eleven (loja de conveniência) para comprar mais. Você pode fumar no avião também. Ai Deus, pareço um vendedor de e-cigs.

Enquanto você deveria fazendo uma divulgação para a Dior. Como se sente sendo o novo rosto do Dior Homme?
R: Na verdade, eu nunca quis fazer propagandas.

… e então, em uma manhã, você foi até o perfume?
R: Eu não uso perfume!

Você tem permissão para falar isso?
R: Quando eu tinha 13 ou 14 anos, eu sempre usava perfume, mas hoje, não mais. No momento, acho que pensava que me daria um toque de adulto. Então, isso foi importante, até que a minha barba apareceu.

O diretor Romain Gavras disse que você bateu uma BMW enquanto filmava.
R: O que? Nós tínhamos um acordo, ele não deveria ter dito nada! E eu não destruí o carro completamente…

O que aconteceu?
R: Era para eu dirigir por 6 metros na areia, à 100 km/h e então, na mesma hora, as ondas vieram e eu escorreguei. Depois disso, estávamos eu, o carro e as modelos encharcados e cobertos de algas.

Você confessou isso para o seu pai?
R: Por causa das modelos? Não, porque?

Pensei que seu pai trabalhava na venda de carros antigos.
R: Ai, merda, é verdade. Eu esperava que a BMW não fosse considerada velha. De qualquer jeito, depois do primeiro filme da saga Crepúsculo, eu dirijo o mesmo modelo, mas preto. O carro não custou mais que 1.000 dólares – não tem muito tempo, mas é considerado um clássico hoje. Graças a Deus, o meu pai é aposentado agora.

A cena em que você e umas modelos pareciam estar fumando maconha não foi antes disso acontecer, foi?
R: Não! (risos)

Será que Roman Gavras teve que fazer várias edições até que as imagens se encaixassem na imagem pública da Dior?
R: Bom, o conjunto não era real.

Mas a garota era.
R: Talvez terá um corte do diretor, no qual o público tem permissão para ver seus seios. Oh, não, eu retiro o que disse – é um comentário horrível de fazer.

Apesar de tudo, a audiência verá mais do você do que a garota nua?
R: Não…

Desde que você interpretou o Salvador Dalí jovem, você tem sendo visto nu em frente as câmeras. Isso é algo que você não vê problemas em fazer?
R: Sou inglês! Não! No momento, tudo bem, mas só se eu perceber que malhei o suficiente. Mas mesmo assim é mais difícil pra mim do que para outros no set. Tente imaginar, você conhece Juliette Binoche pela primeira vez e dez minutos depois você tem que gravar uma cena de sexo com ela. Isso é brutal. Com a produção de Dali na Espanha foi muito ruim, quase vergonhoso: nós estávamos em uma piscina e relaxaríamos um pouco. Eu estava na beirada da piscina e antes mesmo que eu pudesse me virar, o moço espanhol já estava nu. Ele nadou alegremente perto de mim e eu não sabia o que fazer. Me senti como o Mr. Bean. Essa foi a primeira cena de sexo que tive que fazer. E foi com um homem.

Você vê diferença nisso?
R: Olhando para o passado, hoje posso dizer que não. Você não beija, você só tem que fazer com que pareça bom, você sabe, se o ângulo está bom, você fica bem.

Sério?
R: Bom, pelo menos é diferente de um beijo normal.

Apenas algumas pessoas são filmadas enquanto beijam.
R: Certo, eu esqueci (risos).

Voltando para seu emprego de meio-período: Você se sente como um “Homme” ou “Dior Boy” ficaria melhor pra você?
R: Bom, durante as filmagens, Romain sempre gritava “Mais Homme!” e “Robert, seja um Homme!” (Homme: homem em francês)

Seu antecessor foi Jude Law. Parece que os franceses consideram o mais “Homme” Inglês do que os seus compatriotas.
R: Engraçado, né? Nós britânicos somos educados, eloquentes e bonitos.

E você tem muito mais cabelo do que Jude Law.
R: E como!

Durante seu tempo em Hogwarts provavelmente seria: “Aquele menino de um ano acima de Harry Potter vai ser o novo Jude Law”.
R: Sim, é isso que teria nos jornais. Mas hoje, existem dezenas de jovens comemorando por serem chamados de “novo Robert Pattinson”.

Duas semanas atrás, pareceu que em algumas fotos eles simplesmente colocaram sua cabeça nas fotos da campanha de Jude Law.
R: Isso é loucura. (risos)

Você conheceu o Jude Law?
R: Infelizmente não. Mas tenho certeza que ele provavelmente riria de coisas assim. Nós somos ingleses, temos um ótimo senso de humor. Isso é o que nos protege de todas as loucuras que acontecem.

Falando nisso, você alcançou um nível muito nos últimos 12 meses.
R: Nos últimos 12 meses? (risos) Isso foi histérico, sim, mas sempre foi assim, tipo, durante todos os anos de Crepúsculo. De repente, em todos os lugares que eu ia, tinham pessoas que achavam que já me conheciam. Eles tinham visto uma foto minha e já pensavam que eram minhas melhores amigas, que tínhamos um relacionamento ou um caso – alguém que eu nunca conheci. Isso é louco. Em alguns momentos, era assustador e bizarro. Eu tentava apenas rir. Só quando você pode rir das coisas que acontecem que consegue digeri-las. Talvez toda essa coisa de celebridade e histeria vai acabar em breve. Pelo menos é isso que eu espero que aconteça.

Quando e, o mais importante, porque isso deveria acontecer?
R: Oh, talvez em dez ou doze anos; assim que a economia tiver em crise e as pessoas começarem a se focar nelas e nos seus consumos – e não ficarem mais na internet, no tédio e o dia inteiro escrevendo coisas absolutamente sem noção sobre outras.

Você está falando de si mesmo ou da necessidade dos fãs de ficarem perto de pessoas famosas?
R: Em geral. A internet mudou tudo. Se você pesquisar no google, saberá tudo sobre mim: o que eu como, como meu cocô é, com quem eu estou dormindo, como o meu pênis é, até mesmo como eu fico quando me masturbo.

Sério?
R: Bom, isso foi um pouco exagerado, mas a minha cara enquanto me masturbo está gravada para a eternidade.

Desde quando você interpretou o Dali Jovem.
R: Certo.

Não pode pelo menos fingir que estava fazendo?
R: Tente. Posso te dizer, sem chances. Isso não funciona, então, eu “esfreguei” na frente das câmeras.

Porque você pensou que ninguém assistiria o filme?
R: Tipo isso. Depois que terminamos as filmagens, pensei que essa seria o fim da minha – pequena – carreira de ator. Mas então, recebi uma ligação “você conseguiu o papel”. E aí, o Crepúsculo começou.

E depois das vendas de Crepúsculo?
R: Haha.

Sr. Pattinson, você cresceu em Barnes, no sudoeste de Londres. Como foi sua infância?
R: Normal. Sempre fui um garoto que estava sempre procurando ficar longe de ser o centro das atenções. Um pouco tímido e inseguro. Por isso que decidi entrar no grupo de teatro, nunca tinha participado de nenhuma peça antes disso

Seu pai conserta carros caros. Sua mãe trabalhava em uma agência de modelos. Você foi modelo durante o ensino médio.
R: Fico orgulhoso em dizer que tive a carreira de modelo mais patética do mundo.

Por isso você está fazendo um ótimo trabalho com a Dior.
R: No começo, era tudo bem, eu era alto e parecia uma mulher. Isso funcionou por causa da moda andrógina da época. Mas depois, fiquei mais velho e mais masculino – e ninguém mais me quis.

Suas colegas de escola eram impressionadas com a sua modelagem, não eram?
R: Não, na verdade não. Eu tentei manter meu emprego como um segredo. Eu acho que sempre fui uma pessoa mais privada. Teve um incidente, onde todos da minha escola ficaram sabendo: Eu fui modelo da revista adolescente “Bliss”, e então, eles tinham o “Garoto Bliss”. Em cada edição, as meninas votavam nos meninos, os que estavam dentro e fora. Foi legal porque fui o mais votado por um ano – isso provavelmente aconteceu porque eu liguei e votei em mim mesmo. A cada edição eu ganhava 150 libras (risos). Pensando nisso agora, foi o mais longe que alcancei na minha carreira de modelo. Eu só ia para ver as mulheres, mas nunca tentei falar com elas.

Mas na escola você não era tímido o suficiente para colocar rosas vermelhas em armários no dia dos namorados.
R: Como você sabe disso?

Da jovem do armário.
R: Wow, ela também te contou que as rosas não funcionaram? Era dia dos namorados, nós tínhamos uns 12 anos, aí, coloquei uma rosa no seu armário e meu melhor amigo disse que ele fez isso. Uma semana depois, eles estavam namorando. Como eu disse, não foi uma época de muita sorte.

Fala o vampiro cujo milhões de garotas estão esperando rosas.
R: Isso soa mais fácil do que realmente é.

Você estava triste nos últimos dias de filmagem de Crepúsculo? Aliás, Edward estava com você por anos.
R: Tiveram tantos últimos dias de filmagens. Um deles foi no Caribe, em Saint Thomas, foi fantástico. Na maioria das vezes, filmamos com um clima muito ruim. Mas onde o sol estava brilhando, nós ficávamos na praia e íamos para o mar o tempo todo.

Parece legal.
R: O verdadeiro último dia de filmagem foi no Canadá. E foi o oposto do dia no Caribe: tudo que nós fizemos foi ficar por duas semanas filmando cenas cujo nós dois estávamos nus. A última noite foi fria e horrível. Toda a equipe só queria ir embora. Assim como eu. Eu nem mesmo disse tchau para todo mundo, só sai.

Em uma entrevista, você disse “Algumas pessoas só pegam, não dão nada em retorno”. A simples pergunta é: O que Robert Pattinson tem para oferecer? A pergunta mais interessante seria: “O que você vem recebendo ultimamente?”
R: Quando você diz “pegam” eu penso imediatamente em roubo.

Interessante.
R: Eu sempre roubo toalhas de quartos de hotel. Olha na minha mala, está cheia disso.

Você fica em muitos hotéis.
R: Triste, mas verdade.

O que seus amigos de Londres falam sobre R-Pattz, o apelido que a imprensa te deu?
R: Felizmente eles ignoram isso. Assim como Crepúsculo. Mas sobre R-Pattz: eu gostaria de estrangular o cara que inventou isso!

Você sabe quem te deu esse apelido?
R: Não. Na verdade, eu sei. Algum dono de blog gordo.. vamos deixar isso pra lá.

Você acredita que, o que tem sido falado sobre seu relacionamento com Kristen Stewart está sendo tão histérico quanto se, em Crepúsculo, não tivesse romance?
R: É impossível dar uma resposta espera pra essa pergunta. Uma coisa não pode ser separada da outra.

Muito diplomático.
R: Bom, o que eu poderia dizer?

Graças as redes sociais e a histeria de Crepúsculo, você tem mais fãs que Justin Bieber, mais fãs do que qualquer outra celebridade atual.
R: O que é realmente interessante sobre os grupos de Crepúsculo, é que eles não são formados só por adolescentes. A maioria das pessoas são mais velhas. Crepúsculo tem seu próprio mundo paralelo, a sua própria cultura de fãs que vem se formando na internet desde o primeiro dia. É intenso de uma maneira que nunca aconteceu antes. As vezes me pergunto o que essas pessoas fazem o dia inteiro. Elas sentam em frente de seus computadores e comentam, ou fazem qualquer outra coisa relacionada com Crepúsculo. Dia e noite. Então, é realmente muito emocionante – pelo menos até o ponto em que eu me tornei parte desse fenômeno.

Como você lida com isso?
R: Você aprende a se adaptar. Você aprende a viver sua vida de uma maneira diferente. O que é ruim é que 75% as pessoas que acessam a internet pensam que você é um merda (risos)

Você pensa em escapar?
R: Quem não? O verdadeiro incômodo não são os fãs, mas os paparazzis – esses você pode ver que são idiotas; apesar disso, entendo eles: tirar uma foto minha de manhã paga o aluguel mensal de um paparazzi. A patética espera deles realmente vale a pena.

Será que você sabe no que se envolveu desde que começou com Crepúsculo?
R: Nem um pouco. Mas agora que tudo acabou eu me sinto muito mais crescido.

Existe um rumor de que você tomou um Valium antes de fazer o teste de Crepúsculo, o papel que mudou sua vida. Você se lembra disso?
R: Sim, a pílula realmente funcionou como uma mágica – pelo menos aquela vez. Depois de conseguir o papel, cheguei a pensar que Valium era mesmo pra mim, como uma droga mágica que me faz conseguir passar por esses terríveis momento.

E?
R: Na outra audição, eu quase dormi. Graças a Deus eu só tive que fazer duas audições depois de Crepúsculo.

Uma delas foi com Werner Herzog, com quem você vai fazer seu próximo filme.
R: Não tive que ler para Werner, fui sortudo.

Para Werner Herzog, você fez “H. P. Lovecraft”. Você estará atirando em Marrocos.
R: Certo.

O deserto não é mortal para vampiros?
R: Muito engraçado. Na verdade eu acho o cheiro de sangue horrível.

Depois da última parte de Crepúsculo, você atirou em Cosmopolis com David Cronenberg. Você interpreta um investidor…
R: O momento foi fantástico. David me mandou o roteiro, eu fiquei entusiasmado, aceitei o papel na hora – e depois, enquanto atirava, o movimento de ocupação global começou. E por favor, acredite em mim: Eu consigo entender porque as pessoas saem as ruas! Você sabia que até em L.A tem um movimento de ocupação?

Não.
R: Tem.

Pode demonstrar?
R: Isso seria ridículo. Como posso dizer isso sem soar desonesto? Mas eu conheço alguns atores bem conhecidos que foram lá. Eu achava simplesmente patético.

Por quê?
R: Porque meus amados colegas iam em seus Audis ou BMW’S cujo eles não pagaram um centavo, dirigiram, estacionaram o carro a um quarteirão de distância e fingiram terem ido de trem. Eu também não entendo o que eles realmente queriam fazer lá. Eu disse pra eles: “Você simplesmente arruinou o protesto de demonstrações reais. Não importa o quão você se simpatiza com eles: não é uma luta sua. Não querem você lá.”

Você gosta de morar em Los Angeles?
R: Bom, pelo menos é um lugar bem confortável de se viver. O sol brilha quase toda manhã – e se não quero ser incomodado, coloco um suéter, um boné e óculos e saio com meu carro. Essa é uma das minhas maneiras de sair e deixar acontecer.

Os bares nessa cidade são fechados as 2 da manhã – não é muito ideal para um homem que quer encher seu coração partido de álcool.
R: Você não tem ideia do quão bêbado pode ficar até chegar às 2 da manhã!

Qual é a melhor coisa sobre L.A?
R: As cebolas assadas do In-N-Out. É o verdadeiro odor de L.A. É o que eu mais sinto falta quando estou longe!

Você se sente sozinho quando as câmeras estão desligadas e você fecha a porta atrás de você?
R: Não somente nesse momento.

As pessoas dizem que você contratou um assessor de imprensa depois que você terminou com Kristen Stewart porque você não via sentido em pagar por isso antes.
R: Eu sou barato. E eu ainda não tenho assessor de imprensa. Por que eu deveria?

E com quem você fala sobre as coisas, especialmente no que diz respeito a como lidar com os paparazzi?
R: Com a minha família. E meu agente.

Em cujo sofá você gostava de dormir.
R: Não falaria assim. Vivi no seu sofá por três anos. Meu agente trabalhava enquanto eu andava pelo apartamento e jogava vídeo games. Um momento ótimo – até a manhã cuja eu recebi a ligação sobre Crepúsculo… Você quer outro e-cig? Quer saber, leve alguns com você!

Fonte | Tradução: Ana Flávia