David Cronenberg falou sobre Cosmopolis e Robert Pattinson recentemente em duas entrevistas. Em uma delas, ele diz que Rob fez com que os investidores se interessassem mais em Cosmopolis e na outra, ele diz que depois de vê-lo em Little Ashes, ele teve a certeza de que Rob é um ator que não tem medo de fazer papéis difícies, e portanto seria o ator perfeito para interpretar Eric Packer no filme. Confira à seguir.

GQ Magazine

Você acha que Eric Packer é o personagem mais elegante que você já criou?
Na verdade, eu acho que o Dr. Jung de “A Dangerous Method” era muito mais elegante. Há uma qualidade contemporânea para Eric que é certamente perfeito nesse sentido. Por outro lado, ele é um cara que, como muitos do financistas que conhecemos até agora, o “London While” é um deles, eles querem realmente serem anônimos. Eles não querem ser uma grande figura aos olhos do público. Parte de seu poder com os investidores é o anonimato e por isso, embora Eric Packer tenha um guarda-costas neste filme, o guarda-costa está lá para proteger sua vida, e não mantê-lo longe dos fãs longe.

Qual foi seu pior encontro?
Eu realmente nunca tive encontros. A única coisa que eu sei, é que eu estou casado há cerca de 37 anos e é um tipo de coisa estranha, porque eu nunca segui essa tradição de ter encontros ou de dar cantadas. Alguém em Berlim me perguntou, “Qual foi a pior cantada que você já recebeu?” e eu disse, “Eu nunca levei uma, pelo menos não que eu tenha percebido”. A resposta de Rob para isso foi “Eu ficaria bem em suas roupas”. Eu achei que essa foi muito boa.

Film4

Talvez devêssemos começar falando sobre Eric Packer, porque eu acho que ele é um personagem tão extraordinário, e trazer Robert Pattinson para o elenco, foi uma estratégia realmente inteligente.
Bem, na diração você tem um monte de bolas para fazer malabarismos, e neste caso, havia apenas um personagem principal, então eu suponho, que você tem que ter um ator cuja fama irá apoiar o seu orçamento. Isso não faz parte do processo criativo, mas faz parte do processo pragmático de se fazer um filme, então você precisa de alguém que os investidores possam se entusiasmar e, obviamente, Rob tem isso. Mas, além disso, quando você se vê apenas com o ator no set, você acaba sabendo se ele é bom ou não é bom – ele é o cara certo ou não? – E isso é algo que, como um diretor que você não pode deixar passar. E olhando um monte de coisas que Rob já fez, em particular um filme espanhol chamado Little Ashes, em que ele interpretou o jovem Salvador Dali, eu pensei, ‘esse é um ator realmente interessante e sério que não tem medo de interpretar papéis muito difíceis’, e ele provou isso em Cosmopolis. E depois de Crepúsculo eu tomei ciência de que ele poderia fazer o sotaque que precisávamos para o filme, e que ele tinha o carisma necessário para fazer um personagem principal que está em absolutamente todas as cenas do filme. Não há nenhuma cena que ele não esteja, portanto, você precisa de alguém que é incrívelmente assistível, e todos nós sabemos que Rob é.

E há uma tensão realmente emocionante entre o seu tipo de personalidade no filme e sua personalidade pública, a idéia é de alguém que está no topo e de repente decide ir em outra direção.
Sim, e o personagem em si é uma espécie de enigma. É algo que está se tornando mais e mais familiar – alguém que é extremamente bom em algo, neste caso no mundo financeiro, e completamente carente no nível de interação humana. Parece acontecer muito nos dias atuais, estamos descobrindo que existem muitas pessoas que são assim.

Tradução: Ana Paula Oliveira