Cosmópolis, até o momento, arrecadou 148 mil dólares de renda em todo o Brasil. Acompanhe, a seguir, críticas da imprensa brasileira sobre o filme e a interpretação de Robert Pattinson.

Críticos.Com.Br: O personagem central de Cosmópolis, interpretado (?) por Robert Pattinson, é um milionário que quer cortar o cabelo na barbearia que frequenta. Mas para isso precisa ir de um ponto a outro da cidade em um dia especialmente confuso em termos de engarrafamentos, crises internacionais e boletins econômicos que mostram que ele está perdendo milhões por minuto. Leia mais…

CineClick: Packer é a personificação de uma sociedade moderna regida pelo controle da informação e pautada pela volatilidade dos mercados financeiros. É esse mundo que Cronenberg pretende criticar em Cosmópolis, cujo o resultado é tão ou mais confuso e desordenado que o sistema que pretende censurar. O mundo fora da limusine de Parcker está desmoronando. Em certa medida o personagem tem bons motivos para se isolar. Há ameaças de assassinato de líderes mundiais, incluindo o presidente dos Estados Unidos. Ele mesmo é uma vítima em potencial, ou pelo menos acredita que é. Manifestantes tomaram as ruas atacando os símbolos de poder, incluindo sua fortaleza sobre rodas. Leia mais…

Omelete: Basicamente acompanhamos em Cosmópolis a jornada de Eric Packer (Robert Pattinson, papel difícil, atuação adequada), o gênio milionário, em sua limusine durante um dia especialmente congestionado pelas ruas de Manhattan. Eric quer ir ao barbeiro cortar o cabelo, e, enquanto não chega, aposta na Bolsa uma jogada arriscada contra a moeda chinesa. Leia mais …

Leia as demais críticas, clicando aqui.