A edição de maio da revista francesa Les InRockuptibles traz Robert Pattinson na capa e uma nova entrevista. Nela, Robert fala sobre “Cosmópolis”, seu gosto por leitura, musica, filmes… Nos conta novidades sobre seus projetos, e também confirma outros, sendo um inclusive, novamente com David Cronenberg! A entrevista é grande mas é um ótima leitura, clique aqui e leia na integra.


007 x Scans > Internacionais > 2012 > Maio 2012 – Les InRockuptibles (França)

O filme rompe com sua imagem do respeitável jovem moldado por Crepúsculo e dos poucos filmes que você filmou desde então. Você estava ciente disso enquanto você estava filmando?
RP:
Claro. Estou com medo de ser estereotipado *ele pensa por um momento*… Como a maioria dos atores que começaram dessa forma: é importante diversificar bem cedo. Esse é o verdadeiro ponto. Na verdade, me foi oferecido o papel em Cosmopolis no meu último dia das filmagens de Amanhecer. Logo no momento em que eu pensei que eu estava com medo de me repetir e bam! Cronenberg está me chamando! É melhor do que qualquer coisa que eu poderia sonhar. Agora estou curioso para ver como o filme é recebido.

Há também nesta revista uma entrevista com o diretor David Cronenberg, na qual ele menciona Robert. Leia abaixo.

Quando eu comecei a pensar que o ator poderia possuir todos os critérios desejados para o papel, eu pensei em Rob. Eric Packer não é um personagem muito simpático e você precisa de muito carisma para retratá-lo.

Alguns atores têm medo de desempenhar um personagem negativo, especialmente quando é um protagonista, eles temem por sua imagem.

Eu estava procurando um ator que não estava com medo de interpretar um bastardo. Foi o caso de Robert. Ao mesmo tempo, eu preciso de um ator que irradiava uma certa fraqueza, um lado infantil, esse aspecto de um jovem que não cresceu ainda. E Rob tem uma dicção impressionante, é importante para este personagem que ele nunca pare de falar, com um ritmo rápido e sobre assuntos complexos. Precisávamos de um ator capaz de levar estes dialogos.

É uma qualidade rara para atores americanos, e muito mais freqüente com atores ingleses. De alguma forma, ao retratar um comerciante, Rob continua próximo a Crepúsculo: ele interpreta um vampiro também! Mas aquele em Crepúsculo é gentil e romântico, enquanto o especialista em finanças de Cosmópolis é um vampiro perigoso.