Nova crítica de Cosmopolis pelo ‘Jornal Brasil’

Confira abaixo mais uma nova crítica de Cosmopolis, feita pelo Jornal Brasil, que denomina o filme como ‘perturbador’ e saiba um pouco sobre o livro de romance homônimo de Don DeLillo, escritor americano, que deu origem ao filme. Confira:

“Vamos falar sobre coisas e pessoas”, diz Packer ao seu possível assassino. Se essa fosse a premissa de Cosmópolis, novo filme do diretor canadense David Cronenberg, talvez seus mais de 100 minutos chegassem com mais facilidade ao espectador. Mas, não é; logo, a facilidade não vem. Contudo, é a essa missão que os personagens, saídos do romance homônimo de Don DeLillo, se lançam: falar sobre coisas e, esporadicamente, pessoas.

O romance de DeLillo, de 2003, se apoia em algumas previsões feitas por Karl Marx no Manifesto do Partido Comunista, de 1884, para torná-las palpáveis numa sociedade lavada pelos avanços tecnológicos e onde o capitalismo já chegou aos extremos mais absurdos. Se George Orwell cria um panorama assustador em seu 1984, a realidade projetada por DeLillo e recriada por Cronenberg é ainda mais aterrorizante. Se lá, a ameaça vem de um sistema de opressão e controle ditado por um Big Brother dono da verdade absoluta, aqui, ela tem outros contornos; uma vez lidando com interesses pessoais, o inimigo está ao lado e não no alto da pirâmide, e as relações humanas esbarram no instinto animalesco – para fazer outra citação orwelliana. Continue Lendo…

2 comentários em “Nova crítica de Cosmopolis pelo ‘Jornal Brasil’

  1. E seguem achando que os fãs de Rob, vão no cinema procurar Edward solto por Cosmopolis. Enfim, ele gostou.

  2. Pelos comentários que eu vi de algumas por ai, elas foram assistir procurando um Edward mesmo! Pra alguns o Rob so tem que fazer blockbusters, comedias romanticas e por ai vai… ¬¬
    Acho que tem gente que ainda não entendeu que o Rob quer ser um ator sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *