No último mês, Robert esteve divulgando seu novo filme The Lost City Of Z em Berlim e Londres junto com o elenco do longa. Com isso, tivemos várias entrevistas onde o ator contou sobre a sua experiência na selva, sobre estar fazendo uma música para seu outro filme, Damsel, e entre outras coisas. Confira abaixo a entrevista do Robert para a Metro UK transcrita pela nossa equipe:

O mundo estranho de Rob
Robert Pattinson teve que lutar com larvas e cobras em The Lost City Of Z. Ele ama quando as coisas ficam estranhas.
Distante, frio e contemplativo – isso que eu esperava do R-Pattz. A estrela relutante, que teve sua estréia em Crepúsculo, só concordou em dar uma entrevista impressa (Com a gente!) e eu estou preparada para algo como arrancar os dentes. Em vez disso… “Olá, olá!” Pattinson saltita em minha direção como um desajeitado labrador de 1,80 metros. “Onde vocês preferem sentar? Água?” Ele luta com a tampa da garrafa enquanto nós fazemos as dança da educação pra ver quem senta no confortável sofá. “Eu sinto como esse tipo de ignição só acontece no cenário de imprensa,” ele diz. “De repente eu fico um pouco excitado e quero agradar todo mundo e agir um pouco como um idiota”
Abençoado seja ele.
Tirando aqueles extraordinários, quase reptilianos olhos que emprestam uma beleza de outro mundo, pessoalmente não há nada de Edward Cullen, o vampiro gelado e galã de Crepúsculo, no ator e modelo de 30 anos. O recente embaixador da Dior está ainda menos reconhecível em Z – A Cidade Perdida, na qual ele usou uma gigante e espessa barba e óculos para fazer o Henry Costin, um dos primeiros exploradores britânicos da Amazônia.
“O verdadeiro Henry Costin tinha um bigode vitoriano bem dramático” Ele diz. “Eu pensei, com o meu rosto isso vai aparecer muito Noël Coward, então eu tive que deixar crescer a barba por oito meses. Foi horrível, eu acabei com tanto cabelo na minha cara. Eu nem vou falar sobre isso!”
Ainda pior, uma infecção da selva exigia que a barba de Costin ficasse cheia de larvas. Larvas de verdade. “Foi tão nojento, eu estava comendo elas,” ele disse “eu acho que eles tiveram que cortar a cena para reduzir a classificação indicativa do filme” 
Uma pessoa tranquila, que frequentou a mesma escola em Londres que Jack Whitehall, Tom Hardy e Louis Theroux, Pattinson diz que não ficou enjoado nas gravações na selva apesar de ficar coberto com pulgas e pingando de suor graças aos autênticos ternos de lã.
“Haviam jacarés nos rios e eu e o Charlie ficamos nadando em volta deles” Ele diz. “Uma pessoa da esquipe foi mordida no rosto por uma cobra. O mestre de recursos chupou o veneno e cuspiu, ele não tinha idéia do que ele estava fazendo mas o cara ficou bem. Tinham tantas criaturas perigosas  em todos os lugares da selva, você não se preocupa. Mas quando eu voltava para o meu quarto de hotel, eu via uma formiga e pirava!” 
Hunnam protagoniza em Z – A Cidade Perdida com Pattinson fielmente ao seu lado. Pattinson também foi o coadjuvante em Life, com Dane DeHaan protagonizando como James Dean.
“Você pode fazer as coisas mais excentricamente se você está nas laterais” ele explica. “Você não tem a responsabilidade de dirigir a história central, então você pode desenvolver e experientar mais”
Tudo está indo às mil maravilhas, eu me aproximo do pessoal. Pattinson nunca foi de falar da vida pessoal, até mesmo antes de sua colega de elenco Kristen Stewart trair ele, resultando em brilhantes manchetes mundiais. Ele namorou a cantora FKA Twigs desde 2014 e agora eles então noivos. Então ele é mais romântico do que cínico?
“Um, mais ou menos… Eu gosto da ideia de que há coisas especiais no mundo. Então eu acho que sou romântico nesse aspecto.”
Suas escolhas incomuns na moda (um sobretudo ‘gorila’ e cropped) é uma tática para distrair a imprensa da sua vida privada?
“Essa seria uma aposta inteligente! No tapete vermelho de Berlin foi umas das experiências mais aterrorizantes que eu tive recentemente, só porque eu quis vestir algo diferente. Quando você vive um tipo de vida pública, é impossível saber qual é o jeito certo de fazer qualquer coisa. A única coisa que eu quero fazer é conseguir os trabalhos que eu realmente quero. E não ficar maluco.”
… Morrer de fome para Z – A Cidade Perdida
“Charlie era extremamente militante então eu não podia dar mole com a minha dieta de passar fome – nós estavamos no mesmo hotel e ele ficou no personagem o tempo todo. Tinha esse brownie de chocolate no menu e eu ficava pensando: ‘ quando eu terminar, eu vou comer isso e vai ser maravilhoso’. Eu comi e foi uma das piores experiências porque meu corpo rejeitou o brownie.”
… Seus fiéis Twihards
 
“É legal saber que há pessoas que estão seguindo o meu progresso e que eles descobrem você em uma coisa e ficam com você. É adorável pois o meu trabalho vai ficar mais estranho. Esse ano eu tenho tentado acelerar esse caminho para a estranheza.”
… Sua Música
“Eu não toco tanto hoje em dia, apesar de eu estar fazendo música para o filme que eu estou, dos irmãos Zellner, chamado Damsel. Eu costumava diferenciar música e atuação mas quanto mais eu paro de tocar, mais eu vou para a área do meu cérebro da atuação. Eu improviso como eu improvisaria na música”
Fonte – Tradução: Alexandra Barranco – Equipe Robert Pattinson Brasil