Kevin Durand, que vive Torval, chefe de segurança de Eric Packer em Cosmopolis, perdeu sua paciência. Eric e Torval têm uma relação complicada em Cosmopolis, que passa quase que exclusivamente no interior de limosine de Packer enquanto ele tenta atravessar a cidade. Torval caminha em volta do carro, verificando os muitos visitantes que Packer recebe, ou seja, ele está a par dos acontecimentos que ocorrem no interior do veículo. O mais chocante, é como ele fica zangado. E de acordo com Durand, sua relação pessoal com Pattinson foi um pouco difícil também. Nós falamos com Durand em Toronto.

Torval tolera Eric, e ele tende a conhecê-lo melhor do que ninguém e isso faz com que ele sinta ainda mais desprezo por ele. Isso realmente acontece ou eu estou enganado?
Desde quando eu li o roteiro pela primeira vez, eu pensei que ele era mais do que apenas o chefe de segurança deste jovem ícone financeiro. Era mais como uma espécie de pai e filho, de certa forma, porque cuidar de alguém por tantos anos, fez com que ele se importasse com o Eric. Ele faz as coisas mais idiotas e constantemente coloca meu personagem em perigo. Há bastante afeição e também ódio. Está tudo lá.

Robert Pattinson disse que ele tinha ideias para o seu relacionamento com Torval no longa. Vocês discutiram isso?
Ele realmente não tem que pensar nisso. Ele está acostumado com muitos seguranças ao seu redor, e isso é natural para ele. Isso foi importante porque, especialmente neste filme, sua vida está nas mãos do Torval. Houve momentos em que eu estava lendo o script eu me fiz tantas perguntas. “Ele gosta desse homem?” “Será que ele quer matar esse homem?” Havia tantas coisas acontecendo. Finalmente, ele estava apenas tentando mantê-lo vivo.

Há momentos em que você está olhando para ele e saem faíscas.
Eu não posso acreditar, mas é uma coisa rotineira para ele. Foi difícil para mim entrar à fundo nisso. Foi a segunda cena que filmamos e eu fiquei frustrado. Eu estava ficando com raiva porque ele não olhava para mim. Era escolha dele ou de David, mas ele nunca faz contato visual comigo para mostrar qual é o meu lugar. Eu lembro que eu tinha que puxá-lo de volta e fazê-lo se sentar. Você se sente como “O que eu sou?” Essa é a classificação certa. Houve desprezo por Eric, mas Torval estava levando em conta com as baboseiras que ele fala, como por exemplo dizer como seios de uma mulher eram tão redondos. É como, “Como você consegue ficar com esse idiota?” É uma interessante mistura de desprezo e admiração.

A descrição de Cronenberg sobre sua direção, faz parecer que ele é um pouco distante.
Eu me senti ótimo. Eu trabalhei no texto por tanto tempo antes de enviar o teste. Então ele viu o teste e disse “sim, perfeito”. Então nos sentamos e eu ia perguntar várias coisas, como onde ele nasceu, como foi sua infância, etc. Então eu disse “Você quer falar sobre essas coisas?” E ele disse “Não!” Wow! Deus o abençoe. Foi um alívio, porque eu já sabia que ele era assim antes mesmo de eu aparecer lá.

Fonte | Tradução: Ana Paula Oliveira