O ator Guy Pearce nos deu uma noção do que esperar de The Rover, o filme futurístico que ele acabou de filmar com Robert Pattinson no sul da Austrália no mês passado. A sequência tão aguardada para Reino Animal do diretor David Michod é ‘uma história não-usual’ ambientada em um mundo errado num futuro próximo.

“Agora é um estado militar, é um pouco cada homem por si só, é um tipo de mundo muito gelado,” diz Pearce, que está prestes a chegar aos cinemas como o vilão de Homem de Ferro 3.

Em The Rover, o astro australiano interpreta o papel de título, um homem danificado chamado Eric que não tem mais nada pelo que viver. Tentando perseguir uma gangue perigosa, ele conhece um jovem estranho, Rey (Pattinson), e eles forjam uma aliança inquieta.

“[Ele é] alguém pelo qual ele não tem nenhum interesse,” diz Pearce. “Ele está puramente usando ele para chegar onde precisa. Então através desse mundo… gelado, há uma pequena conexão que é meio que produzida, de forma que você poderá achar que seja algo positivo para aquele personagem. Mas de outra forma ela pode fazer com que as coisas piorem para ele – acreditar que realmente haja algum sentido no amor no mundo ou algum senso de humanidade ou compaixão. Então é uma história bastante gelada.”

Assim que as filmagens terminaram na pequena cidade de Marree, quase 700km ao norte de Adelaide, Pattinson disse que ele queria fazer parte de The Rover porque “era um roteiro assustadoramente original, e era uma daquelas partes que você lê e pensa, ‘Eu adoraria fazer isso, mas eu sei que nunca vou conseguir o papel’.”

Para interpretar Rey, o astro de Crepúsculo foi caracterizado despenteado e com a barba por fazer, com maquiagem para descolorir seus dentes. Pattinson diz que seu personagem, um Americano que veio para a Austrália com seu irmão (interpretado por Scoot McNairy), é “o tipo de pessoa que foi levada a acreditar que é incapaz de viver independentemente. Alguém sempre olhou por ele.” Os dois personagens centrais, Eric and Rey, têm uma relação inconstante que Pattinson descreve como sendo “estranha e perturbadora.”

É um filme, que se espera que seja lançado este ano, e que parece ter ecos de um filme pós-apocalíptico clássico, Mad Max. “Embora não com tantos acampamentos,” diz Pearce, que também estava em Reino Animal. “Mad Max é ótimo, não me entenda errado. Mas é exaltado de uma maneira, enquanto este é bastante sincero.”


Fonte
| Tradução: Sheila Andrade