Veja à seguir os scans e a entrevista traduzida de Robert Pattinson para a revista Sunday Style da Austrália na época de divulgação da nova fragrância da Dior em Beverly Hills.


x Scans > Internacionais > 2013 > Setembro 2013 – Sunday Style (Australia)

A EVOLUÇÃO DE UM HOMEM

Robert Pattinson está tentando me abraçar. Mas eu não estou brincando, eu não sou um ambientalista, então eu ofereço a minha mão em vez disso, o que o põe em ataques de riso. “OK, é assim que estamos fazendo isso?” Ele sorri, divertido e um pouco surpreendido. Em um esforço para recuperar meu aparente deslize, e talvez impulsionado pelo Champagne consumido no Polo Lounge do Beverly Hills Hotel, enquanto esperava ser chamado pelos representantes Dior, eu finalmente retribuir seu gesto, ainda que sem jeito. Gentilezas trocadas, passamos para a sala de estar de sua suíte no hotel, onde um frasco da fragrancia da Dior Homme, da qual Pattinson é o novo rosto, estavam estrategicamente na mesa de café. Eu prontamente o lembrei das muitas conversas que tivemos durante o qual ele insistia em dizer que as fragrâncias não seriam uma parte de sua agenda futura. Ele franze a testa. “Sim, você está certo, mas eu fiquei tão fedido que eu tive que começar a usá-lo.”

Sugerindo que seu discurso de vendas é um pouco duvidoso, na melhor das hipóteses uma nova abordagem, ele ri e acena com a cabeça. A maneira que Pattinson age, torna fácil esquecer que o tamanho de sua fama. Ele surge como o mesmo desconhecido ator Britânico que eu conheci em 2008, que estava em Los Angeles para promover Crepúsculo. Naquela época, ele lamentou que as meninas de Hollywood não reparavam nele. Ele também estava em dúvida sobre a viabilidade comercial da temática saga de vampiros ele estava promovendo. De muitas maneiras, ele exemplifica o ditado, “Tenha cuidado com o que deseja”, refletindo sobre essas preocupações extremamente imprecisas que surgiram a partir de uma outra fase. “Eu só não esperava nada disso e eu não pedi isso”, diz ele, quase se desculpando. “Foi, literalmente, sorte. Eu só tropecei de emprego em emprego”.A franquia Crepúsculo, que arrecadou 3.7 bilhões dólares em todo o mundo, proporcionou-lhe o luxo de se aventurar em projetos mais ousadas, como Water for Elephants, Remember Me e Cosmopolis. Presumivelmente, ele deve estar satisfeito com a forma como sua carreira está progredindo? Ele pondera sobre a questão. “Bem, sim”, diz ele, com um pouco de hesitação. “É meio difícil manter-se são. É realmente difícil.” Ele desenha com seu cigarro eletrônico. “No começo, eu nem percebi que minha vida tinha mudado tão maciçamente, porque eu estava sempre trabalhando. Suponho que, eventualmente, eu me acostumei com isso. “

Nas primeiras reuniões, quase sempre pontuadas por um filme que ele estava promovendo, ele estava geralmente vestido com um conjunto elegante, mas com uma aparência de desalinho cuidado. Hoje, no entanto, ele adotou um look mais casual. Parece que um dos benefícios do sucesso é a liberdade de se vestir como quiser. Ele preenche incrivelmente o cliché de estrela formosa de filme mas ele está vestindo uma camisa cinza normal, jeans velhos American Eagle e tênis Vans. Seu rosto está ostentando uma barba crescida de dois dias e ele tem um boné de beisebol para trás em sua cabeça, escondendo o cabelo. Apesar de seu status como um dos atores mais rentáveis ​​e mais bem pagos de Hollywood, esta tarde, Pattinson parece mais com alguém que você pode encontrar em um bar qualquer.

Aparentemente a Dior ficou atraída com essa impressão rock-star dele, já que a conceituada casa de moda e beleza perseguiu Pattinson para o papel principal em sua nova campanha publicitária, um curta-metragem de Romain Gavras (que dirigiu M.I.A’s Born Free video). Ao embalo de ‘Whole Lotta Love’, do Led Zeppelin e características de Pattinson em vários cenários que ilustram claramente um espírito livre. Ele dirige um conversível vintage em uma praia acompanhado por um trio de viajantes levadas pelo vento igualmente fotogênicas. Também o vemos sentado em um telhado e, posteriormente, saltitando com uma mulher bonita em um hotel. Ele é um digno embaixador masculino sucessor da fragrância anterior da Dior, Jude Law.

Sem surpresa, a estrela já recebeu inúmeros convites para diversas campanhas. Com uma base de milhões de fãs dedicados, que vão desde pré-adolescentes até mães, este cara é o sonho de qualquer gerente de marketing. Respondendo à pergunta de por que ele escolheu Dior, ele explica: “Eu estava olhando para a Dior como a marca e não o produto individual em si, embora eu provavelmente não deveria estar dizendo isso”. Ele abaixa a voz e olha para os dois representantes Dior que vieram de Paris. “Eu olhei para outras empresas – e eu não estou dizendo isso – mas, para um homem, eu não acho que há alguma coisa com mais classe do que Dior.”

Notando que ele agora está se referindo a si mesmo como um homem, ele sorri e olha um pouco envergonhado. “Bem, sim, eu estou em uma fase de transição na minha vida. Estou tentando parar de ser visto como um jovem e acho que estar fazendo isso me ajuda nesse sentido. Eu tenho 27 anos agora e eu posso sentir as pessoas olhando para mim de forma diferente. É um ano estranho. Com o fim de Crepúsculo e outros filmes que eu fiz, como Cosmopolis, de repente eu sinto que estou sendo tratado como um ator de verdade, em vez de… “ Ele foge, e não termina a frase, algo que tende a fazer com freqüência. Ele se inclina para frente conspirando. “Eu estive usando mais colônia nos últimos três dias do que jamais usei na minha vida. E pelo jeito, não é um perfume, aprendi hoje, que é eau de toilette”.

Então, agora ele é um adulto que usa eau de toilette, qual é o próximo passo na trajetória de sua carreira? Dado que frequentemente ele encabeça listas de mais bem vestidos, poderia uma linha de moda estar no futuro dele? “Na verdade, eu já desenhei alguns ternos”, diz ele com entusiasmo. “Um deles foi um quadriculado verde-esmeralda que usei para a última premiere de Crepúsculo.” Ele criou essa roupa muito fotografada em colaboração com a Gucci, que Pattinson usa na maioria de tais eventos. “Eu vou fazer isso mais vezes no futuro.” Obviamente, ele é um homem que aprecia um bom terno. “Sim, absolutamente. Tenho a estranha relação com ternos”, confessa. “Eu só não os uso muito, mas eu tenho uma unidade de armazenamento com cerca de 1000 ternos. Às vezes eu dou para amigos, mas, para dizer a verdade, eu gosto de colecioná-los. Eu tenho uma certa dificuldade em dar coisas, eu não sei por quê.”

Ele vem com essa surpresa de ícone de alto perfil, que parece tão enganosamente à vontade quando pisa no tapete vermelho, quando na realidade está uma pilha de nervos. Ele caminha através de suas experiências típicas de liderança de um evento glamouroso. “Eu sempre entro em pânico. Fico muito ansioso”, diz ele, “até o segundo em que eu saio do carro para o evento, aí então de repente isso some completamente. Mas até aquele momento, eu fico maluco.”

Não é incomum para os atores britânicos falarem em termos de auto-depreciação, mas Pattinson parece genuinamente preocupado com esses momentos. “O que me deixa em pânico?” ele repete a pergunta, olhando seriamente perturbado. “Bem, nada, realmente. Dismorfia corporal, uma tremenda ansiedade geral.” É chocante ouvir Pattinson sofrer de um transtorno dismórfico. “Acho que é por causa dessas enormes inseguranças que nunca encontrei uma maneira de tornar egoísta. Eu não tenho um tanquinho e odeio ir para a academia. Tem sido assim toda a minha vida. Nunca mais quero tirar minha camisa. Eu prefiro ficar bêbado”, ele diz com um sorriso.

Evidentemente, em Hollywood, um homem como ele é confrontado com as mesmas pressões, como protagonista, preservando a sua aparência, a qualquer custo, é imprescindível para o bem do futuro emprego. “Sim, você tem que investir em si mesmo, é a sua marca”, ele concorda. “Todo trabalho é esperançosamente o primeiro passo para o próximo emprego. E agora que eu estou ficando velho, acho que vou ter que ir para a academia. Na realidade, eu vou, só que geralmente só dura uma semana.”

Mas existe é claro maneiras mais prazerosas de entrar em forma do que o tédio de puxar ferro suando em uma academia. “Eu vou te dizer”, diz ele irrompendo na gargalhada. “Eu estava tentando aprender a surfar eu estava em Malibu e eu não sabia que estava sendo fotografado, eu parecia um completo idiota e quando isso acontece vezes suficiente, você é um idiota, por isso, em termos de pura vaidade eu dei conta de que não estava indo surfar mais.”

Nascido e criado em Londres, Pattinson tem duas irmãs mais velhas. Sua mãe trabalhava em uma agência de modelos e o breve caminho de Pattinson para o estrelato começou quando ele apareceu em algumas produções de teatro, por sugestão de seu pai que dizia que lá poderia conhecer garotas foi assim que ele se tornou um ator. Ele rapidamente fez o papel de Cedrico Diggory em Harry Potter e o Cálice de Fogo. Foi um papel pequeno, mas fundamental pois chamou a atenção da diretora de Crepúsculo, Catherine Hardwicke. E o resto, como dizem, é história.

“Não há muito que realmente me incomoda – eu nunca mais senti a necessidade de perdoar ou esperar que as pessoas se desculpem… Eu julgo as pessoas sobre suas ações. Eu realmente não me importo se está certo ou errado, eu dou-lhes o benefício da dúvida. Se fazem algo que me incomoda, eu simplesmente caio fora.” Sobre o tema romance, ele diz: “Eu sou muito sensível, e eu gosto muito de grandes gestos, mas isso é apenas o meu ego, eu gosto muito de dar presentes, e eu acho que faço isso muito bem, mas isso é porque eu também adoro receber, então eu procuro fazer funcionar com a outra pessoa.”

Uma vez que ele é famoso, ele tem sido associado a várias celebridades, como Katy Perry, a modelo francesa Camille Row, sua co-estrela da campanha Dior. A partir de agora, ele permanece aparentemente sozinho. Tendo experimentado tanta coisa tão jovem, há algum conselho que ele daria a si mesmo se pudesse voltar no tempo? “Não muito”, diz ele. Isso implica que ele fez todas as decisões certas até agora? Ele faz uma pausa para considerar. “Eu não sei. Talvez.” Ele sorri. “Ou talvez eu apenas esteja tentando descobrir isso ainda.”…

Fonte | Tradução: Ana Paula