Em entrevista para o The Guardian Uk, Robert Pattinson contou sobre como é lidar com a pressão da fama, um pouco da sua história antes de Crepúsculo, as suas escolhas sobre os papéis que ele interpreta e sobre como será dificil as pessoas deixarem de vé-lo somente como Edward Cullen.

Um minuto e Robert Pattinson era um músico sem trabalho, e então Crepúsculo o tornou o segundo ator britânico mais bem pago. Já que a grande saga de vampiros chega próximo de seu fim, ele conta a Sanjiv Bhattacharya o quão amedrontador é voltar à luz do dia.

Quando perguntada sobre as pressões da fama, Emma Watson (Hermione na série Harry Potter) disse que estava agradecida por não ser Robert Pattinson. “Não posso sequer imaginar como esse tipo de fama deve ser”, disse ela. “Muitas pessoas devem desejar estar na posição deles e acho que ele tem a melhor vida, mas na verdade é o preço que você paga. Não interprete a partir de minha perspectiva. Não é tão ruim para mim. Eu não estou na posição de Rob: eu não tenho pessoas gritando, chorando e me agarrando, sou tão grata por isso“…

Quer dizer alguma coisa quando a estrela de Harry Potter acha que você é o único que é muito famoso. Mas Pattinson – aka R Patz – parece ter entendido isso na sua caminhada. Ele cumprimenta as mutlidões gritantes com humor, charme e com vontade de posar para fotos. Não houve drogas ou brigas com paparazzi. Até mesmo o romance que ele começou com a co-estrela de Crepúsculo Kristen Stewart, há dois anos, sobreviveu a cobertura intensa das revistas de fofocas, um testemunho do sangue frio desse garoto de 25 anos.

Confira a entrevista na íntegra aqui.