Em entrevista para o Io Donna da Itália, o diretor Romain Gavras falou sobre o trabalho feito para a campanha publicitária do perfume Dior Homme e contou detalhes sobre o filme e como foi trabalhar ao lado de Robert Pattinson.

Na primeira imagem ele (o ator britânico Robert Pattinson, o ex- vampiro Edward na saga Crepúsculo) e um arranha-céu acima (à esquerda). No segundo quadro, é com ela (a modelo Camille Rowe) na banheira (foto na página 2). Então, filmagens rápidas, todas em preto e branco e em sequencia: flashbacks de um festa, uma corrida de carro na praia, mergulhando na piscina (de roupas). Não importa o lugar: poderia ser Nova York ou Paris, o primeiro dia da primavera ou no último ano. Contar a história, importante. Os close-ups capturam a energia da juventude, a dinâmica da atração, paixão.

Fortes emoções que levam ao último momento (colorido) do filme: ele, o homem ideal , sexy e carismático. E seu aliado, Dior Homme, uma fragrância que, como afirma François Demachy, criador e perfumista da Dior, desafia todos os clichês de masculinidade: “Explorar uma nova virilidade, imediata e ainda assim complexa”. Único e singular, como o filme de Romain Gavras, filho do diretor de arte Costa. Pedimos a ele para nos dizer sobre o filme de Dior Homme.

De onde surgiu a inspiração para o vídeo?
Trabalhando em colaboração com a equipe da Dior. Cem vidas em um dia e as palavras de James Dean: “Sonhe como se você fosse viver para sempre. Viva como se você fosse morrer hoje”. O resultado é um personagem que passa por emoções e lugares diferentes. Então, com o diretor de fotografia André Chemetoff e o designer de produção Jean-Michel Bertin, buscamos a melhor gramática visual para contar essa história fragmentada.

Como você descreveria o homem do Dior Homme?
O homem que gostaríamos de representar é claro, à vontade em qualquer situação. Poderia ser em uma praia deserta, em um hotel de luxo ou em uma casa vazia para a qual ele acabou de se mudar: ele seria sempre o mesmo. Quisemos sair do estereótipo do bem-sucedido, rico e arrogante, e é por isso que nós adicionamos detalhes, como o carro da década de oitenta, que leva a um certo ponto. A mulher é outra ótima maneira de caracterizar um homem: no vídeo é uma menina simples, que não se veste de maneira vistosa.

Pode nos contar alguma história do set?
Filmamos no Brooklyn, na Rockaway Beach, logo após o furacão. Olhando para a cena da praia, você pode observar seus sinais, por exemplo, a altura da areia ou as cabines destruídas, o que dá uma imagem estranho, inesperada, em um vídeo para um perfume de luxo. Ah, e o carro também acabou no mar… Foram dois barcos e um trator para tirá-lo!

A principal dificuldade?
Provavelmente o fato de ter que filmar em tantos lugares ao mesmo tempo. Tivemos que correr por toda Nova York com Rob, que é uma grande estrela em Hollywood, esquivando-se dos paparazzis e todo o resto, para não revelar as imagens da campanha antes da apresentação. Além disso, antes de conhecer o Rob, não tinha ideia de como seria porque estávamos muito agitados, com agendas cheias e às vezes os atores não gostam de trabalhar sob pressão. Mas ele foi ótimo, deu mais do que ele pediu, estava comigo cem por cento. Além disso, durante a sessão, nos divertimos muito.

Qual é a sua cena favorita?
Eu realmente gosto da parte na praia, foi a primeira cena que filmamos. Durante a primeira gravação sempre há algo interessante acontecendo naquele momento, você sabendo ou não se vai funcionar o que você tinha em mente. Foi muito bom ouvir que funcionaria.

Como foi trabalhar com Rob?
Rob é extremamente curioso, está deixando a fase do “garoto-propaganda” de Crepúsculo para desempenhar papéis mais maduros. Já está fazendo escolhas interessantes e corajosas. Falando como diretor, posso dizer que ele é um ator com o qual é muito fácil de se trabalhar, capaz de dar muito.

Seus planos para o futuro?
Agora eu estou escrevendo meu próximo filme.

Fonte | Tradução: Milla Correa