A nossa tradutora, Desirée Tomitão, concedeu uma entrevista para o site Gazeta do Povo e falou um pouco sobre os filmes da Saga Crepúsculo e sobre seu cargo como tradutora aqui no nosso site e nos nossos parceiros Jackson Rathbone Source e Stewart Brasil.

Está aberta a temporada de altos decibéis no cinema. Amanhecer – Parte 1 chegou às telonas ontem, e se você não é muito fã da série, melhor esperar um pouco antes de ir conferir o início da última aventura de Bella e Edward. Afinal, como este é o penúltimo capítulo da série nos cinemas, não há dúvidas de que a gritaria será intensa quando os heróis surgirem na tela. Mas, quem é apaixonada de verdade pela saga Crepúsculo, já não via a hora de conferir a produção.

“Eu estou bem ansiosa porque deve ser o filme mais fiel ao livro. E também porque tem cenas muito esperadas, como as da lua de mel”, conta Desirée Tomitão, 20 anos, que é tão fã da série de Stephanie Meyer e das adaptações para o cinema que faz parte de três sites dedicados aos astros de Crepúsculo – Kristen Stewart (Bella), Robert Pattinson (Edward) e Jackson Rathbone (Jasper).

Para Desirée, os filmes fazem jus aos livros, com a exceção do primeiro. “Como eles tinham poucos recursos, é o mais fraco. Os efeitos especiais, principalmente”, aponta. Das produções restantes, ela elogia a fotografia, que consegue transpor com bastante perfeição o clima de cada história. “O único problema são as perucas que eles usam, podiam melhorar”, diverte-se.

Por conta dos sites que atualiza, Desirée é obrigada a estar sempre ligada em tudo que está rolando sobre a série. O trabalho não é remunerado, mas, segundo a jovem, vale muito a pena. “De início, quando comecei com os sites, eu queria mais proximidade com a vida dos atores. Depois, passou a ser pela vontade de ajudar mesmo. Mesmo assim, é difícil ficar traduzindo materiais, postando, e as pessoas estão sempre cobrando”, conta.

“Dorzinha no coração”

Um pouco pessimista, Desirée acredita que dificilmente a saga Crepúsculo irá continuar forte entre os fãs. “De verdade, acho que não tem como. A não ser que a Stephanie lance livros especiais”. Para ela, o legado que os filmes deixam são as estrelas. “O que vai acontecer mesmo é acompanhar a carreira dos atores”, aposta.

Clique aqui para ler a matéria na íntegra. Parabéns pela entrevista e obrigada por ter citado o nosso site, Desirée!