Durante uma folga do set de seu Cosmópolis, que está para ser lançado, [David] Cronenberg passou pelos escritórios da Variety para conversar com Christy Grosz sobre os desafios dos financiamentos e por que ele provavelmente nunca fará um filme com estúdios com grandes orçamentos. Cronenberg também fala de atores britânicos responde sobre Robert.

Financiamento nunca é fácil para filmes independentes. Você acha que conseguindo alguém como Mortensen associado ao filme logo cedo ajuda a despertar interesse?

É preciso encontrar um elenco que se encaixe ao tom do filme e o nível de orçamento para o qual se está encaminhando. Todos sabem dos estúdios de filmes nos quais dizem, bem, faremos este filme de US$ 200 milhões se você conseguir Tom Cruise ou Brad Pitt. Está em um nível diferente, mas ainda assim é a mesma dinâmica quando se está fazendo um filme independente. É como, “Bem, compraremos os direitos para a França se você conseguir alguém como Robert Pattinson ou Paul Giamatti ou algo do tipo.” Não se pode ter protagonistas desconhecidos, mesmo em um filme independente. Você pode meio que apresentar desconhecidos. Sarah Gadon, por exemplo, que interpreta Emma Jung (em Um Método Perigoso). Ela é canadense. É uma descoberta minha. Ela tem um grande e distinto papel com Rob em Cosmópolis. Então, quando fizemos Cosmópolis, ela foi de grande valia. Sua estrela está crescendo. Ela está captando atenção e é adorável ver isso acontecer. E, eventualmente, você conseguirá financiamento.

Leia os trechos da entrevista em que ele menciona Robert e/ou Cosmopolis, clicando aqui. A entrevista completa, em inglês, pode ser encontrada na fonte.