Ainda na promo de divulgação de Cosmopolis, David Cronenberg comentou sobre o personagem de Eric Packer e o porque escalou Robert para o filme, não deixando também de falar sobre os fãs de Crepúsculo, no qual “seguiram este filme enormemente.” A seguir, confira a entrevista completa.

Num primeiro momento, Packer parece ser um personagem sem alma. Ele inicialmente exibe pouco pra não dizer nenhuma emoção, não enquanto recebe atualização sobre suas finanças minguantes, não durante o sexo, nunca. Este sentido de desapego é melhorado pela limusine, que corre levemente, a prova de som e balas, com janelas coloridas que minimizam a visão de Packer aos eventos externos e previne olhos curiosos de ficarem olhando para ele.

Você consegue ver sua alma a medida que o filme progride, a medida que ele se aproxima de sua infância,” disse Cronenberg, “porque, realmente, começamos a perceber que o barbeiro representa sua infância. É o seu barbeiro de infância. É onde ele costumava viver. É de onde ele vem.”

“Eric não nasceu em meio ao dinheiro. Eu acho que você vê Eric se tornar mais vulnerável e mais infantil e inocente, e quando ele está na cadeira do barbeiro ele se torna como ele mesmo em uma criança, antes de ele ter se levantado como este personagem Eric, este Senhor do Universo. Então você deveria gradualmente aquecer a ele como você percebe o quão vulnerável e ferido ele está.” Continue Lendo…