O ator Chris Pine menciona Robert Pattinson em entrevista para a revista Esquire UK em sua edição de maio de 2013. O astro descreveu seu receio em aceitar o papel em Star Trek e sua vida tornar-se algo parecido com o que acontece com a do ator inglês . Leia a seguir:

Pergunte a ele como é ser um jovem ator em Hollywood – não famoso, mas que consiga pagar suas próprias contas- e ele não hesita na resposta: “Maravilhosamente ótimo.” Ele fica por um tempo com um olhar distante como se estivesse se recordando de seus momentos mais nostálgicos e que parece fazer com que a pessoa fique fora da realidade, ainda mais com uma pessoa tão jovem. Ele morava na rua “Silver Lake”, em um “apartamento incrível, em frente ao meu café favorito”. Ele trabalhava uma ou duas vezes por semana, ganhando o suficiente para manter o seguro do carro e pagar o aluguel, as quais eram suas únicas responsabilidades a arcar. Ao tempo em que ele estava passando por momentos estrondosos.

Com certeza, as audições (testes) e a rejeição – principalmente se você for uma pessoa sensível, isso é algo brutante. Caso contrário, é algo grandioso para com o crescimento. Você apenas tem que manter seu foco. Los Angeles é uma cidade linda, quente, um local agradável. Você pode pegar um bronzeado, fazer aula de muai tai, e dormir para acordar daqui a 5 meses, que ainda estará ensolarada.

Apesar de todo esse papo sobre coquetéis e futilidades, nem tudo são flores neste universo. Ele afirma, contudo, que nunca embarcou nas tentações mais comuns do mundo da fama- as drogas para dormir, pílulas, todo o universo de Robert Downey Jr.
Nunca me interessei pelas drogas”, afirma ele. “Com a bebida, você acaba entendendo os seus próprios limites, dosando, mas com as drogas, eu simplesmente não sei o que elas podem fazer ou que realmente fazem. Ademais, sempre fui uma criança tímida e sempre atrasada para as coisas da minha idade. Aos 22 anos eu tinha o emocional de um adolescente de 16 anos.

Para um adolescente de 16 anos de idade, ele era uma pessoa super estável. Talvez em parte por conta da boa educação e modos ensinados pelos seus pais, pelo fato deles o levarem a suas aulas de teatro, ajudavam-no para gravar as falas, e Pine sempre chegava preparado nas audições (testes) que fazia, estivesse fazendo sol ou chuva. Mas talvez também pelo fato de ter crescido ao lado de atores e pôde assim ver o quanto instável pode ser essa vida, cheia de altos e baixos na carreira. O que fez dar a ele toda a segurança que deveria ter. “Por qualquer razão, eu nunca cheguei a ter dúvidas a respeito de qual carreira iria seguir”, afirmou ele.

Uma de suas histórias favoritas foi de quando ele foi para um teste com o seu pai, o dois indo ao mesmo show. “Quando nós chegamos lá, ele reencontrou um amigo dele que não o via há mais de 40 anos e ficamos do lado de fora conversando”, disse Pine. “Parecia uma cidade de aço ou algo do tipo. Mas é isso que as pessoas fazem em Hollywood. É uma sensação sensacional, poder perceber e saber que houve toda uma geração antes da gente. Pessoas trabalham com isso, fazem testes, e têm dias bons e ruins como qualquer pessoa normal.

Mas com certeza, não há nenhuma cidade de aço que não se renda ao que o Pine se tornara. Toda a questão acerca do emprego de ator de colarinho azul não se mantém como algo totalmente verídico quando se trata de um ator que faz parte de uma lista vip dos queridinhos dos estúdios cinematográficos (enquanto estes pagam você um bom montante em dinheiro por alguns meses). Tudo ocorreu muito rapidamente na vida do ator – a partir do momento que ele disse “sim” ao Capitão Kirk e aceitou as oportunidades já mencionadas acima.

‘“Eu nunca fui um fã de ‘Star Trek’”, disse ele. Nunca foi algo que me incitava a ver. Tudo que queria na época era um papel com o qual me sentisse conectado, e meu agente me disse, ‘Star Trek’, e eu disse , ‘Não!’. Você não me ouviu dizer que eu queria algo com que me conectasse? ‘Star Trek’ está bem distante do que queria fazer.

O único motivo que o fez fazer o teste foi por ter a oportunidade de conhecer JJ Abrams, com quem ele imaginou poder ser um bom contato na área. “Foi aí que falei com meu agente, ‘Veja bem, eu vou, mas eu só farei o teste para conhecer o JJ…” Risos. “Eu acredito que estava pensando muito alto”.

Mesmo após terem oferecido a ele o papel, ele hesitou e ficou pensando por mais de uma semana. E foi o “medo” que fez com que ele aceitasse o papel, no final das contas. “‘Star Trek’ me fez sentir com mais medo do que ‘White Jazz’. Simplesmente me deixou aterrorizado, de verdade. Tudo isso por conta da dimensão do filme, a responsabilidade, o fato de se tratar de um personagem que é um ícone. Foi realmente o meu maior desafio enfrentado até então. Por isso tive que aceitá-lo.

A conta havia chegado e Pine se lamentava com o garçom sobre a comida, ali em frente a sua casa, na cafeteria. Ele me perguntou se eu tinha mais alguma pergunta a fazer e eu o respondi: só apenas em relação a vibradores, aí ele deu uma risadinha envergonhada. “Este ano com certeza é um marco na vida de Pine, e ele quer que tudo ocorra bem, com graça e sabor, com ou sem perguntas sobre vibradores.

Ele irá para casa em breve, para seus muros e colinas que o cercam, e parece que ele vai conseguir manter-se afastado de toda e qualquer moléstia por parte de seus fãs eufóricos ou mesmo dos paparazzi. Até então, ele não tem sido alvo de gritos estrondosos de meninas eufóricas como muitos dos ídolos da atualidade vem levando. E este provavelmente será o ano de grandes mudanças.

Quando fui ao Japão para o ‘Star Trek’, os fãs já estavam me aguardando no saguão do aeroporto. Mas eles não gritaram até que chegasse o ator Benedict Cumberbatch (de ‘Star Trek’)”, disse ele. “E eu fiquei pensando, dane-se ele, e quanto a mim?!”[Risos]. “Mas não, você sempre vê o que o Justin Bieber e o Robert Pattinson passam, e poxa, não parece ser tão animador quanto parece ser. Tenho convicção de que eles aproveitam tudo isso, como deveriam, mas quanto a mim, me sinto bem assim mesmo.” Ele dá uma olhada no redor do restaurante, onde parece que cada um que estava lá parecia estar preocupados com suas próprias vidas.” Eu não posso desfazer do que tenho nem tampouco fazer descaso, me sinto bem como estou.” Bem você quer dizer que nenhuma mulher te ataca na rua?! Pelo amor de Deus, eu já vi milhares fazendo isso.

Fonte | Tradução: Carol Almeida