VOCÊ ESTÁ EM:

1
out
2014
Robert Pattinson será diretor e estrela de The Childhood of a Leader

Robert Pattinson irá dirigir The Childhood of a Leader com início de filmagens para maio de 2015, na França. O cronograma de produção do filme foi adiado várias vezes devido à agenda de Robert, pois quer um tempo para se preparar para o projeto que ele vai dirigir e estrelar. Veja o que o roteirista Brady Corbet já disse sobre o filme:  

 

“É sobre uma família americana que tem de ir para a França para a Conferência de Paz de Paris”, diz Corbet. “Mas realmente é um conto sombrio de este menino até atingir a maioridade durante um período muito difícil na história política do mundo.”
Corbet está ciente de que para muitos pode parecer algo de que a venda será difícil: “Eu estou tentando encontrar novas formas e encantador para falar sobre o assunto, que não o tornam tão seco e muito formal, mas é quase um filme de suspense. Sim, é um filme estranho. Eu acho. Eu sempre fui apaixonado por tudo o que parece difícil. “
Isso não parece corresponder muito, porém, o conto de Jean Paul Sartre, “The Childhood of a Leader” contida no “The Wall”, que poderia ser o romance que inspirou o filme:
A história do livro é mais forte do que o último, o que é mais de um curto romance ou novela.

 

Fonte | Tradução: Barbara Juliany


1
out
2014
A Saga Crepúsculo estará de volta com novos episódios no Facebook!
17:20

Ontem a noite foi divulgada uma noticia de parar o coração de qualquer twilighter: o anúncio do The Storytellers — New Creative Voices of ‘The Twilight Saga (em tradução literal ‘Os Contadores de História – Novas Vozes Criativas da Saga Crepúsculo’), que serão divulgados para os fãs em 5 curtas a serem postados no Facebook. Entenda mais no artigo abaixo do Entertainmnt Weekly.

Bem quando você pensou A Saga Crepúsculo acabou, ela está de volta com sua nova pele brilhante.

Dois anos após o lançamento de ‘Amanhecer Parte 2′, a Lions Gate anunciou nesta terça-feira que está fazendo parceria com o Facebook para financiar cinco curtas-metragens que serão baseados em personagens de Crepúsculo, segundo o The New York Times. Um grupo de palestrantes do sexo feminino vai escolher entre cinco aspirantes a diretoras para dirigir os filmes, intitulado The Storytellers — New Creative Voices of The Twilight Saga, que vai estrear exclusivamente na rede social no próximo ano.

Os jurados, segundo o The Times, incluem Bella, Kristen Stewart; a autora da A Saga Crepúsculo, Stephenie Meyer; Kate Winslet; Octavia Spencer; Julie Bowen; a diretora de Crepúsculo, Catherine Hardwicke; Cathy Schulman, produtor; e co-diretor de – Uma Aventura Congelante, Jennifer Lee. No entanto, nenhum dos filmes vai contar com o elenco original.

Em entrevista ao The Times, o vice-presidente Lions Gate, Michael Burns, disse que este é apenas o começo da relação do estúdio com o Facebook.

“Este é a apenas o começo, um modelo, se você quiser”, acrescentou Burns. “Você provavelmente pode adivinhar o que pode estar por vir.”

O que exatamente isso significa que ele não disse, mas ele não deu nenhuma razão para excluir a possibilidade da rede social eventualmente distribuir seus próprios filmes de longa-metragem. A notícia veio apenas um dia depois da The Weinstein Company anunciar o lançamento, igualmente não convencional, da sequencia de O Tigre E o Dragão, que será lançado nos cinemas IMAX e na Netflix simultaneamente.

O projeto é apoiado pelo Women in Film, que visa incentivar as diretoras mulheres. O projeto vem logo depois de que um relativo estudo foi divulgado onde as mulheres ainda são muito mal representados em Hollywood, tanto em papéis de atuação e quanto por trás das lentes.

O artigo original, do The Times, dá outros detalhes:

[...]

Os mini-filmes, financiados pela Lions Gate e seus parceiros de produção, serão exibido exclusivamente no Facebook no ano que vem.

“Achamos que o Facebook é uma ótima maneira de introduzir o mundo de ‘Crepúsculo’ para uma totalmente nova audiência, enquanto re-energizar os fãs existentes”, Michael Burns, vice-presidente da Lions Gate, disse em uma entrevista.

[...]

Em um comunicado, Meyer disse nada específico sobre o retorno de “Crepúsculo”, mas sim focada no vão de gêneros de Hollywood. “A voz feminina é algo que tem se tornado cada vez mais importante para mim, enquanto eu trabalhei na indústria do cinema”, disse ela.


30
set
2014
‘Mapas para as Estrelas’ nas mídias brasileiras
14:14

A nova parceria de Robert Pattinson com o diretor canadense David Cronenberg, ‘Mapas para as Estrelas’, foi exibido no Festival do Rio e houveram algumas repercussões e críticas nas mídias brasileiras. Leia abaixo alguns trechos e toda a matéria nos links de origem!

Adoro Cinema:
O próprio título já é uma dica e tanto sobre o filme: trata-se de uma referência ao local onde os astros residem em Hollywood ou, ainda, um meio de chegar até eles. O grupo de personagens apresentado por Cronenberg não é formado propriamente por astros – o mais próximo disto é um garoto de 13 anos (Evan Bird) que estrela uma série de TV de relativo sucesso -, mas principalmente por pessoas que estão dispostas a se tornar celebridades. Entre eles estão um chofer que tenta se tornar ator (Robert Pattinson), uma atriz de meia idade desesperada por um papel que lhe dê visibilidade (Julianne Moore) e uma jovem com várias queimaduras que está escrevendo um roteiro (Mia Wasikowska). A grande sacada do diretor é mostrar a luta pela ascensão deste trio com um olho na obsessão cada vez maior existente nos dias atuais em ser famoso e o outro analisando de forma sarcástica a própria Hollywood – ou ao menos uma de suas vertentes, a que está repleta de picaretagem e vulgaridade.

Diário Cinema:
O longa é uma crítica à atual sociedade viciada em astros e obcecada pela fama, mesmo que por cinco minutos. Acompanha a família Weiss, que tem pseudo-astros problemáticos e polêmicos. A direção é de David Cronenberg, que dirigiu Cosmopólis, filme em que Robert Pattinson atuou.

Inclusive o ator também está no elenco de Maps to the Stars, deixando pra trás as histórias envolvendo vampiros. O elenco também tem Mia Wasikowska, Olivia Williams, Sarah Gadon, Ari Cohen, Carrie Fisher, Joe Pingue, Niamh Wilson, Jonathan Watton, Evan Bird e Kiara Glasco.

Sidneyrezende:
No entanto, quem realmente se destaca, ao ponto de ter chances reais de concorrer ao Oscar, é Julianne Moore (Havana Segrand), que está dando shows de interpretação em todas as cenas. A atriz se entregou à personagem de corpo e alma, literalmente, despindo-se de toda vaidade e pudor para dar vida a uma profissional em franca decadência, vulgar e de aparência horrorosa.

“Mapas Para as Estrelas” é interessante, sobretudo para quem não conhece o lado obscuro da indústria cinematográfica. Vale a pena assisti-lo!


29
set
2014
Vídeo legendado: Robert nos bastidores de gravação de The Rover

No DVD e Blu-ray de The Rover dos Estados Unidos contém alguns vídeos dos bastidores de gravação, onde podemos ver David Michôd falando sobre como conheceu Robert e também o ator falando sobre a experiência de trabalhar com o grupo Blue-Tongue. Confira o vídeo legendado:

 


29
set
2014
David Cronenberg fala sobre Robert no NYFF 2014

No último sábado, o filme Mapa para as Estrelas esteve no NYFF 2014, onde Robert não esteve presente. David Cronenberg compareceu, e falou sobre sua experiência com Robert nos seus dois filmes consecutivos com o ator. Confira abaixo o que Cronenberg disse:

 

David Cronenberg é diretor do melodrama familiar Hollywood “Mapa para as Estrelas” que é marcado pelo seu segundo filme consecutivo com a estrela de Crepúsculo, Robert Pattinson depois de Cosmopolis em 2012.

Embora muitos ainda vejam Pattinson como o vampiro galã Edward Cullen, Cronenberg disse ao The Hollywood Reporter que ele poderia facilmente olhar o passado.

“Não tenho nenhum problema ignorando isso”, disse o diretor sobre Crepúsculo e o passado de Pattinson. “É claro que eu assisti o primeiro filme de Crepúsculo só para ver como ele era e ter uma idéia de sua presença na tela e assim por diante e assim por diante … no momento em que você está no set, são apenas dois de você fazendo filmes. Você se esquece de seus próprios filmes também.”

Em declarações ao THR no ultimo sábado no NYFF 2014 que Mapa para as Estrelas esteve, Cronenberg explicou que ele queria trabalhar com Pattinson (que não estava presente no evento de Nova York) neste filme, não só porque o diretor pensa nele como “um ator maravilhoso “e que” tinha um bom tempo em Cosmopolis “, mas também porque ele forneceu a oportunidade para Pattinson para participar do tipo de filme de conjunto que ele disse para Cronenberg que ele queria fazer.

“Ele me disse que ele estava com medo de Cosmopolis, porque ele não queria realmente fazer um filme em que ele era o líder e tinha o filme inteiro em seus ombros”, explicou o diretor. “E é claro que nesse filme ele está em quase todas as cenas. Ele disse: ‘Um dia eu adoraria fazer uma peça de conjunto, onde há um monte de bons atores e [ele é] apenas um deles.”

Quando Cronenberg estava montando Mapa para as Estrelas, ele pensou em sua estrela de Cosmopolis.

Fonte | Tradução: Barbara Juliany


26
set
2014
“Eu sinto que estive de férias desde que tinha 22 anos” disse Robert á The Independent UK

Em mais uma entrevista que concedeu quando estava no Festival de Toronto 2014, Robert falou sobre viver em Los Angeles, sobre seu filme Mapas para as estrelas e seu novo projeto Queen of the Desert. Confira abaixo a entrevista traduzida:

 

Mapas para as estrelas é o nome do novo filme de David Cronenberg, estrelado por Robert Pattinson. Refere-se à cartografia Hollywood que informa os turistas onde encontrar as casas de seus atores favoritos. Quem compra um desses planos vai ficar desapontado se eles estão olhando para a casa do vampiro mais famoso da Grã-Bretanha. No ano passado, o ator vendeu sua mansão em Griffith Park, perto do letreiro de Hollywood, no centro de Los Angeles, dizendo que ele era muito jovem para ser amarrado a uma propriedade, luxuoso e, em vez quis colocar a vida baixa e ao vivo para suas necessidades, em vez de seus meios. “A casa era tão incrível”, ele diz sobre a morada que ele vendeu por US $ 6.37m (3,9 milhões. ” Eu não estava realmente pensando quando eu entendi. Que eu tinha vivido dentro e fora dos hotéis, e você tem o dinheiro pela primeira vez.” Quando ele diz que o dinheiro, ele quer dizer uma incompreensível quantidade. ele teria recebido US $ 20 milhões para a parte final de Crepúsculo, a saga de vampiros que fez dele um nome global, e fez seu pasto público vida privada. Pattinson diz que vender a casa faz parte de uma dissociação geral com Hollywood. “Se você é o tipo de pessoa que precisa de ser empurrada a fazer algo, Hollywood não é o lugar certo, então eu acho que poderia ser feito com Los Angeles.”

Nós nos encontramos no dia da estréia de Mapas para as estrelas no Festivel de Toronto e há um anseio por Barnes, oeste de Londres, onde ele cresceu. Seu pai importado carros antigos da América, e sua mãe trabalhava para uma agência de modelos, uma profissão Pattinson entrou pouco antes de ele acertar sua adolescência. “Eu acho que eu preciso passar mais tempo em Londres, ou apenas se movimentar um pouco mais. Eu estive em Los Angeles por seis ou sete anos, e é estranho. Quanto mais você ficar, especialmente como ator, quanto mais você pensa que você estará perdendo alguma coisa, deixando, mas você não é realmente. É uma cidade divertida, mas você está permanentemente de férias. Eu sinto que estive de férias desde que tinha 22 anos ”

Parece que os 28 anos teve o suficiente de foco estar na sua vida romântica, em vez de sua carreira. Sua relação com a co-estrela de Crepúsculo, Kristen Stewart dominou as manchetes antes de uma divisão muito público, e agora há uma especulação sem fim que ele está saindo com todas as garotas que só acontece de estar na mesma sala. O fascínio com a sua vida amorosa deve ser frustrante, porque, desde que Crepúsculo terminou, não há muitos centímetros de coluna foram gastos no currículo invejável, ele tem vindo a construir.

Além de duas vezes a trabalhar com Cronenberg, ele deu uma de suas melhores atuações como um ladrão armado no interior australiano thriller de David Michôd, The Rover e ele acabou jogando TE Lawrence por Werner Herzog e Dennis fotógrafo Stock por Anton Corbijn. No horizonte é uma adaptação de The Lost City of Z, que será dirigido por James Gray.

A impressionante lista surgiu porque Pattinson foi buscar auteurs: “Nos últimos dois anos, tenho feito coisas só para o diretor e realmente não pensei muito sobre o roteiro”, diz ele. “Agora eu estou balançando-o um pouco para trás, tentando obter um meio termo entre os dois.”

Ele é grato a Cronenberg para dar uma chance a ele, especialmente quando as pessoas se perguntou se tudo o que ele tinha para oferecer era um olhar vazio. “Trabalhar com Cronenberg acaba de abrir outras coisas. Pessoas se aproximam de você de uma maneira diferente. Agora eu tenho feito algumas outras coisas e meio que trabalho em um pouco de um rolo, trabalhando com caras de autor-y. “

Mapas para as estrelas é sobre as pessoas estranhas que povoam Hollywood. Pattinson tem um caso com uma PA (Mia Wasikowska) e, em seguida, memoravelmente faz sexo em um carro com seu chefe, Havana – Julianne Moore ganhou o de melhor atriz no Festival de Cannes gongo por sua interpretação de uma atriz cujos melhores dias estão por trás dela. É uma Hollywood que Pattinson sabe muito bem; “Eu conheci personagens que são bastante semelhantes. Todo mundo está dizendo cortante do filme, mas eu acho que é simpático a uma série de personagens. As mulheres gostam de Havana: na realidade, as pessoas desprezam, eles não têm amigos por uma razão, mas eu não acho que ninguém sai do filme odiá-la e isso é testemunho de Julianne. É um bando de malucos que gastam muito tempo a auto-obsessão e falar sobre isso mais tarde. “

O ator diz que não está exatamente em posição de falar: “Eu me auto-obceco muito. Quando eu estou fazendo entrevistas que eu estou sempre à espera de algum comentário estúpido para sair. ” Quando ele entrou no quarto, o seu lance inicial foi: “Eu sou tão ruim em fazer press junkets “, disse, com um brilho em seus olho que deu a impressão de que ele pensa muito do que é uma farsa. “Eu costumava ser tão burro em entrevistas; tentar fazer piadas o tempo todo e todo mundo está pensando, ‘esse cara é um idiota, ele só foi dizendo coisas estúpidas por anos e anos. “

Herzog é um diretor que ele muito admirava e ele aproveitou a chance de jogar TE Lawrence em sua biografia Gertrude Sino Rainha do Deserto, estrelado por Nicole Kidman como o arqueólogo britânico que ajudou a desenhar a fronteira Iraque / Jordânia, na virada do século 19 . “É uma espécie de perto a cara de verdade, certamente não é uma Arábia Saudita”, diz ele. “É uma pequena parte” o que lhe serve muito bem: “É muito bom fazer peças pequenas. O filme não é totalmente dependente o que eu faço, então vou começar a trabalhar com quem eu quero trabalhar e não é minha culpa se ele não fazer qualquer dinheiro. “

 Fonte | Tradução: Barbara Juliany


26
set
2014
Vídeo legendado: Robert diz o que gostaria de fazer em Toronto e mais

O ator concedeu várias entrevistas no tapete vermelho do Festival de Toronto 2014 e em uma dessas, Robert descreve David Cronenberg em uma palavra e diz o que gostaria de fazer na cidade. Você pode conferir a entrevista legendada logo abaixo:

 


Página 1 de 79012345678...203040...Última »