VOCÊ ESTÁ EM:

29
set
2014
Lizzy Pattinson fala sobre o apoio e a fama de Robert

Lizzy Pattinson, irmã de Robert, é um das competidoras do The XFactor UK. Ela está agora na casa dos jurados e falou um pouco sobre o apoio e a fama de seu irmão. Traduzimos os pedaços que ela fala sobre Robert, você pode conferir abaixo:

 

 

Sobre o apoio do irmão dela para entrar no programa: “Ele está muito animado com tudo e gosta de ouvir sobre os detalhes de cenas, e de toda a loucura de tudo isso. Enviei-lhe um link da música que eu estou fazendo para os juízes na Casas e ele disse que soa muito legal. Foi uma escolha, bastante obscura e ele pensou que era uma música muito boa.”

Sobre se ela está preparada para o nível de fama de seu irmão: “Eu vi o grande lado das coisas através do meu irmão, mas também as outras coisas que vem com ele. Há tão poucas pessoas que têm esse nível de fama, eu sei que minha vida não seria a mesma que a dele. Eu não acho que todas as meninas vão estar jogando suas calcinhas para mim.”

 

Fonte | Tradução: Barbara Juliany


29
set
2014
David Cronenberg fala sobre Robert no NYFF 2014

No último sábado, o filme Mapa para as Estrelas esteve no NYFF 2014, onde Robert não esteve presente. David Cronenberg compareceu, e falou sobre sua experiência com Robert nos seus dois filmes consecutivos com o ator. Confira abaixo o que Cronenberg disse:

 

David Cronenberg é diretor do melodrama familiar Hollywood “Mapa para as Estrelas” que é marcado pelo seu segundo filme consecutivo com a estrela de Crepúsculo, Robert Pattinson depois de Cosmopolis em 2012.

Embora muitos ainda vejam Pattinson como o vampiro galã Edward Cullen, Cronenberg disse ao The Hollywood Reporter que ele poderia facilmente olhar o passado.

“Não tenho nenhum problema ignorando isso”, disse o diretor sobre Crepúsculo e o passado de Pattinson. “É claro que eu assisti o primeiro filme de Crepúsculo só para ver como ele era e ter uma idéia de sua presença na tela e assim por diante e assim por diante … no momento em que você está no set, são apenas dois de você fazendo filmes. Você se esquece de seus próprios filmes também.”

Em declarações ao THR no ultimo sábado no NYFF 2014 que Mapa para as Estrelas esteve, Cronenberg explicou que ele queria trabalhar com Pattinson (que não estava presente no evento de Nova York) neste filme, não só porque o diretor pensa nele como “um ator maravilhoso “e que” tinha um bom tempo em Cosmopolis “, mas também porque ele forneceu a oportunidade para Pattinson para participar do tipo de filme de conjunto que ele disse para Cronenberg que ele queria fazer.

“Ele me disse que ele estava com medo de Cosmopolis, porque ele não queria realmente fazer um filme em que ele era o líder e tinha o filme inteiro em seus ombros”, explicou o diretor. “E é claro que nesse filme ele está em quase todas as cenas. Ele disse: ‘Um dia eu adoraria fazer uma peça de conjunto, onde há um monte de bons atores e [ele é] apenas um deles.”

Quando Cronenberg estava montando Mapa para as Estrelas, ele pensou em sua estrela de Cosmopolis.

Fonte | Tradução: Barbara Juliany


26
set
2014
“Eu sinto que estive de férias desde que tinha 22 anos” disse Robert á The Independent UK

Em mais uma entrevista que concedeu quando estava no Festival de Toronto 2014, Robert falou sobre viver em Los Angeles, sobre seu filme Mapas para as estrelas e seu novo projeto Queen of the Desert. Confira abaixo a entrevista traduzida:

 

Mapas para as estrelas é o nome do novo filme de David Cronenberg, estrelado por Robert Pattinson. Refere-se à cartografia Hollywood que informa os turistas onde encontrar as casas de seus atores favoritos. Quem compra um desses planos vai ficar desapontado se eles estão olhando para a casa do vampiro mais famoso da Grã-Bretanha. No ano passado, o ator vendeu sua mansão em Griffith Park, perto do letreiro de Hollywood, no centro de Los Angeles, dizendo que ele era muito jovem para ser amarrado a uma propriedade, luxuoso e, em vez quis colocar a vida baixa e ao vivo para suas necessidades, em vez de seus meios. “A casa era tão incrível”, ele diz sobre a morada que ele vendeu por US $ 6.37m (3,9 milhões. ” Eu não estava realmente pensando quando eu entendi. Que eu tinha vivido dentro e fora dos hotéis, e você tem o dinheiro pela primeira vez.” Quando ele diz que o dinheiro, ele quer dizer uma incompreensível quantidade. ele teria recebido US $ 20 milhões para a parte final de Crepúsculo, a saga de vampiros que fez dele um nome global, e fez seu pasto público vida privada. Pattinson diz que vender a casa faz parte de uma dissociação geral com Hollywood. “Se você é o tipo de pessoa que precisa de ser empurrada a fazer algo, Hollywood não é o lugar certo, então eu acho que poderia ser feito com Los Angeles.”

Nós nos encontramos no dia da estréia de Mapas para as estrelas no Festivel de Toronto e há um anseio por Barnes, oeste de Londres, onde ele cresceu. Seu pai importado carros antigos da América, e sua mãe trabalhava para uma agência de modelos, uma profissão Pattinson entrou pouco antes de ele acertar sua adolescência. “Eu acho que eu preciso passar mais tempo em Londres, ou apenas se movimentar um pouco mais. Eu estive em Los Angeles por seis ou sete anos, e é estranho. Quanto mais você ficar, especialmente como ator, quanto mais você pensa que você estará perdendo alguma coisa, deixando, mas você não é realmente. É uma cidade divertida, mas você está permanentemente de férias. Eu sinto que estive de férias desde que tinha 22 anos ”

Parece que os 28 anos teve o suficiente de foco estar na sua vida romântica, em vez de sua carreira. Sua relação com a co-estrela de Crepúsculo, Kristen Stewart dominou as manchetes antes de uma divisão muito público, e agora há uma especulação sem fim que ele está saindo com todas as garotas que só acontece de estar na mesma sala. O fascínio com a sua vida amorosa deve ser frustrante, porque, desde que Crepúsculo terminou, não há muitos centímetros de coluna foram gastos no currículo invejável, ele tem vindo a construir.

Além de duas vezes a trabalhar com Cronenberg, ele deu uma de suas melhores atuações como um ladrão armado no interior australiano thriller de David Michôd, The Rover e ele acabou jogando TE Lawrence por Werner Herzog e Dennis fotógrafo Stock por Anton Corbijn. No horizonte é uma adaptação de The Lost City of Z, que será dirigido por James Gray.

A impressionante lista surgiu porque Pattinson foi buscar auteurs: “Nos últimos dois anos, tenho feito coisas só para o diretor e realmente não pensei muito sobre o roteiro”, diz ele. “Agora eu estou balançando-o um pouco para trás, tentando obter um meio termo entre os dois.”

Ele é grato a Cronenberg para dar uma chance a ele, especialmente quando as pessoas se perguntou se tudo o que ele tinha para oferecer era um olhar vazio. “Trabalhar com Cronenberg acaba de abrir outras coisas. Pessoas se aproximam de você de uma maneira diferente. Agora eu tenho feito algumas outras coisas e meio que trabalho em um pouco de um rolo, trabalhando com caras de autor-y. “

Mapas para as estrelas é sobre as pessoas estranhas que povoam Hollywood. Pattinson tem um caso com uma PA (Mia Wasikowska) e, em seguida, memoravelmente faz sexo em um carro com seu chefe, Havana – Julianne Moore ganhou o de melhor atriz no Festival de Cannes gongo por sua interpretação de uma atriz cujos melhores dias estão por trás dela. É uma Hollywood que Pattinson sabe muito bem; “Eu conheci personagens que são bastante semelhantes. Todo mundo está dizendo cortante do filme, mas eu acho que é simpático a uma série de personagens. As mulheres gostam de Havana: na realidade, as pessoas desprezam, eles não têm amigos por uma razão, mas eu não acho que ninguém sai do filme odiá-la e isso é testemunho de Julianne. É um bando de malucos que gastam muito tempo a auto-obsessão e falar sobre isso mais tarde. “

O ator diz que não está exatamente em posição de falar: “Eu me auto-obceco muito. Quando eu estou fazendo entrevistas que eu estou sempre à espera de algum comentário estúpido para sair. ” Quando ele entrou no quarto, o seu lance inicial foi: “Eu sou tão ruim em fazer press junkets “, disse, com um brilho em seus olho que deu a impressão de que ele pensa muito do que é uma farsa. “Eu costumava ser tão burro em entrevistas; tentar fazer piadas o tempo todo e todo mundo está pensando, ‘esse cara é um idiota, ele só foi dizendo coisas estúpidas por anos e anos. “

Herzog é um diretor que ele muito admirava e ele aproveitou a chance de jogar TE Lawrence em sua biografia Gertrude Sino Rainha do Deserto, estrelado por Nicole Kidman como o arqueólogo britânico que ajudou a desenhar a fronteira Iraque / Jordânia, na virada do século 19 . “É uma espécie de perto a cara de verdade, certamente não é uma Arábia Saudita”, diz ele. “É uma pequena parte” o que lhe serve muito bem: “É muito bom fazer peças pequenas. O filme não é totalmente dependente o que eu faço, então vou começar a trabalhar com quem eu quero trabalhar e não é minha culpa se ele não fazer qualquer dinheiro. “

 Fonte | Tradução: Barbara Juliany


26
set
2014
Vídeo legendado: Robert diz o que gostaria de fazer em Toronto e mais

O ator concedeu várias entrevistas no tapete vermelho do Festival de Toronto 2014 e em uma dessas, Robert descreve David Cronenberg em uma palavra e diz o que gostaria de fazer na cidade. Você pode conferir a entrevista legendada logo abaixo:

 


24
set
2014
Entrevista de Robert para o Yahoo Singapura em Cannes

Robert Pattinson participou do festival de Cannes 2014 e concedeu uma entrevista à Yahoo Singapura, onde falou sobre The Rover, Mapas para as Estrelas, música e também sobre seu novo projeto com Olivier Assayas. Você pode conferir a entrevista completa e traduzida a seguir:

É o fim da tarde em Cannes, e o galã, Robert Pattinson, 28, parece estar tendo um bom tempo no festival de cinema mais glamouroso do mundo promovendo The Rover, estrelando ao lado de Guy Pearce, 46. Ele também vai estrelar ao lado de Julianne Moore, de 53 anos, em Mapas para as estrelas, ambos com lançamento previsto para este verão. Seu cabelo é curto, ele tem um pouco de barba por fazer e está vestindo uma jaqueta azul-turquesa, camisa preta e calça jeans escura e tênis. Pattinson é naturalmente mais conhecido por seu papel como Edward, um vampiro que se apaixona por uma humana, Bella, interpretada por sua namorada vai-e-volta, Kristen Stewart, 24, em Crepúsculo. Desde então, Pattinson assumiu papéis mais sérios, como Lembranças (2010) e Água para Elefantes (2011) em que ele estrelou ao lado de Reese Witherspoon. Famoso por sua boa aparência, Pattinson é visto frequentemente no topo das listas de mais “quentes” em muitas publicações como as da People (2008 e 2009) e Glamour UK, no entanto, ele continua sendo humilde. Ele também é o rosto da Dior Homme, que assumiu após Jude Law. A entrevista: Q: Você é um fã dos filmes Mad Max? PATTINSON: Eu realmente nunca vi. Perguntaram-me tantas vezes esta manhã, e eu nunca vi isso. (risos) Eu acho que eu tenho que vê-lo agora. Q: Este gênero inteiro, é familiar para você? PATTINSON: Sim, mas acho que este é um pouco diferente. Quero dizer, não é como todo mundo ficou louco, e eles são canibais. Não sente algo mais real sobre isso, e também acho que o mundo onde o filme se passa, não é que o mundo inteiro é assim, eles estão apenas no meio do nada. O país acaba de se tornar muito instável e qualquer coisa pode entrar em colapso a qualquer momento. É mais ou menos como a nova sociedade está tentando nascer de novo. Q:  O colapso da sociedade é um medo familiar para você que pode se relacionar? PATTINSON: Não realmente. Acho que o mundo é bastante resistente, mas eu não sei, eu acho que seria um pouco de diversão. Mas eu sou um pouco de um niilista. (risos) Q: Foi divertido no set com Guy Pearce? Ele era intimidador? PATTINSON: Não, e ele é muito forte também. Então, quando você está sendo jogado, chega a doer bastante. (risos) E ele estava realmente na dele o tempo todo, porque ele realmente não é assim. Q: Então, ele é um bom ator como você. Isto é algo que é realmente importante para você quando você trabalha? PATTINSON: Sim, cem por cento. Quer dizer, eu acho, eu sempre ouço alguns atores dizendo que eles não leram comentários ou se preocupam com isso, e eu acho que eles estão inventando. (risos) Todo mundo se preocupa com isso; se as pessoas acham que é bom. Q: Qual foi a coisa mais difícil para você criar esta personagem, fazê-lo de uma forma especial? PATTINSON: Eu quero dizer um monte de que estava lá no script no início e eu realmente conectado a ele. Quero dizer, a coisa mais difícil foi conseguir o emprego. Mas eu acho que uma vez que eu estava fazendo isso, foi muito divertido. Foi uma parte emocionante para jogar e David Cronenberg [David Michôd - o entrevistador provavelmente tem o errado David quando ele transcreveu a entrevista] tipo de deixe-me tipo de correr com qualquer ideia também. Q: E o sotaque, foi uma ideia sua? PATTINSON: Ele deveria ser do sul, mas, literalmente, apenas disse que ele estava em algum lugar no sul do país, então eu não sei, que era o tipo de voz que eu ouvi na minha cabeça quando eu estava lendo o script. Q: E você disse que era mais difícil de conseguir o emprego. PATTINSON: Quero dizer, eu odeio fazer testes e fico muito ruim neles. Eu fico tão nervoso e então eu basicamente tentou evitar fazer audições a todo custo. Eu li o roteiro e eu estava realmente, realmente interessado em pegar  esta parte. É estranho, porém, se preparando para uma peça que você já lançou é só fazê-lo de verdade e ter apenas uma espécie de esperança de que sua ansiedade não tire o melhor de você. Q: E você recebeu um telefonema? O que aconteceu? PATTINSON: Eu tive um segundo teste mais tarde e, em seguida, eles me disseram que no fim de tudo, isto era uma espécie de sentimento incrível. Q: E assim foi a primeira vez que você foi para a Austrália filmando? PATTINSON: Estive em Sydney apenas um par de vezes para trabalhar, mas sim, nesta área definitivamente. Q: Você quer fazer uma coisa de grande sucesso ou retornar para algo de sua carreira? PATTINSON: Sim, estou esperando o diretor certo. Nada surgiu,  quero dizer, isso não quer dizer que eu não quero fazer isso, mas grandes sucessos, filmes grandes basta levar um bom tempo para acertar também. Então eu acho que você tem que realmente, realmente, realmente querer fazê-lo. Há muita pressão e você simplesmente não entende que muitas partes interessantes em grandes filmes, especialmente para jovens rapazes. É exatamente a mesma coisa o tempo todo. Q: Grandes adaptações de historias em quadrinhos. Existe algum personagem que você gostaria de dizer, sim, eu faria isso? PATTINSON: Sim, talvez, eu nunca fui realmente alguém que lia histórias em quadrinhos quando eu era criança e coisas assim eu realmente não tenho essa conexão. Você também tem que trabalhar para fora como o de toneladas, (risos) em potencialmente um filme que você pode não gostar. É apenas uma grande confusão. (risos) Q: Mapas para as estrelas foi excelente. Então, quando você leu o roteiro, o que você achou disso? PATTINSON: Eu achei engraçado e eu gostava de algumas das linhas (risos) Estou animado em ver isso com o público. Mas isso é Cronenberg; ele é muito para ser subversivo e bastante combativo e outras coisas. É uma espécie de incrível que ele ainda está fazendo isso, ele tem 72 anos. Q: Você já viu pessoas que realmente quase agem assim? PATTINSON: Um monte de crianças e jovens, eu vi um monte deles. Eu acho que eles são os mais honestos. E Havana, há muitas atrizes que gostam de ir um pouco loucas. Mas as crianças, que é como uma coisa muito dominante, este é um tipo de ódio. Há uma grande quantidade de energia negativa, eu não sei o por quê, é realmente muito estranho. Q: Você tocava música em Crepúsculo. Você vai lançar um álbum um dia? PATTINSON: Eu quero fazer um, eu não sei realmente sobre a liberação de um. (risos) Eu não sei, eu realmente não posso lidar com as críticas muito bem e eu já tenho a crítica vinda de um ângulo (risos) e eu não sinto a necessidade de obtê-lo em outro lugar. Q: O que ele iria soar? Que tipo de música você faria? PATTINSON: Eu não sei ainda. Quer dizer, eu sempre costumava ter um tipo de registro de cantores e compositores que eu realmente não queria fazer o mesmo. Eu estava tentando descobrir alguma coisa, mas sim, eu ainda não sei. Tentando descobrir o meu novo som. Q: Voltando para The Rover, em que você canta, “Don’t hate me because I’m beautiful”, e você acha que é biográfico nisso? PATTINSON: Não, eu pensei que era realmente engraçado que Rey soubesse  a letra dessa canção. (risos) Q: Para Cronenberg você não tem que fazer testes. Você e ele formam um bom time? O que é que gosta? PATTINSON: Sim, eu não fiz teste para Cosmopolis também. Eu não sei como isso aconteceu. Mas eu quero dizer, sim, eu faria qualquer coisa com ele. Eu disse que sim antes de ler o roteiro, e eu faria qualquer coisa. Q: Você pode nos dizer alguma coisa sobre o novo projeto com Olivier Assayas? Eu li em algum lugar que você estava com ele. PATTINSON: É um filme de gangster. É uma história verídica sobre um grupo de ladrões que roubam um sex shop [loja de penhores - provavelmente outro pequeno erro quando o entrevistador transcreveu a entrevista] em Chicago sem se dar conta de que é uma fachada para a máfia. Quero dizer, é uma história bastante simples, mas é tão densamente escrita e segue a história real incrivelmente bem e isso é coisa que Assayas pode fazer muito bem. É final dos anos 70, ele ganha o meio ambiente. É incrivelmente realista e uma coisa conjunto real, como doze peças incríveis nele. É muito legal, é muito, muito legal. (risos) Q: Você está esperando com isso estar de volta aqui em Cannes? Você vem aqui todos os anos, é uma meta para você? PATTINSON: (risos) Sim, eu espero. É do  tipo que parece ser um pouco de um filme de Cannes, mas é legal embora. É realmente brutal, mas se sente como um filme de gangster totalmente anti-clichê, que é totalmente difícil de fazer. Q: Você se sente bem com a pressão de estar em Cannes ? PATTINSON: Sim, definitivamente. Definitivamente a uma triagem, é definitivamente uma energia diferente e não como uma estreia normal, onde é apenas como amigos do estúdio ou o que seja. É uma espécie de como há uma chance muito real, as pessoas vão ser vocal sobre se eles gostam ou não. É emocionante. Mas eu acho que as pessoas estão mais interessadas, e as pessoas falam sobre os filmes depois e eles não estão indo só para a seleção, para que possam ir à festa depois, eles realmente querem vê-lo. (risos) Q: Você pode assistir-se objetivamente na tela? PATTINSON: Sim, eu sou muito bom em fazer isso. Eu costumava não ser, e eu realmente só assistia qualquer coisa que eu fiz uma ou duas vezes, mas não é como se eu odiasse tudo, e eu aprendo coisas depois. Tipo, assistir a reprodução quando estou fazendo um filme. Eu acho que é muito bom, as coisas técnicas. Q: Em The Rover, seu personagem aprende tiro e a defender-se, então, quais são os seus sentimentos sobre armas? É algo que você estava  familiarizado? PATTINSON: Na verdade não, eu não sou tão grande de um fã. (risos) Eu não sei, eu cresci na Inglaterra e eu acho que é estranho, as pessoas com armas, é meio bobo. (risos) Q: Mas é uma coisa muito americana. Eles acham que precisam de armas? PATTINSON: Eu quero dizer, eu acho que as pessoas deveriam apenas se livrar de todos eles juntos. (risos) Q: Quais são os traços de personalidade que você tem que trabalhar nesse mundo? PATTINSON: Eu sou muito bom em ser eu mesmo, provavelmente apenas se esconder na floresta e ficar lá para sempre. (risos) Q: E sobre a violência? Você já leu o roteiro e me pergunto o que pode mais existir? Violência ou sangue? PATTINSON: Sim, eu nunca gostei de filmes que tipo de deleitaram com violência. Eu só acho que é meio nojento. Eu não sei; Eu sou como, olha como ele cortou-lhe a cabeça e coisas como os filmes Jogos Mortais e coisas assim. Eu pensei que o primeiro foi muito bom, mas às vezes eu sinto que você assiste e é como, “por que as pessoas estão gostando disso? Eu não quero ver alguém sendo torturado”. Mas é f********** estranho. Eu não sei, eu acho que você quer ficar com medo ou qualquer outra coisa. Talvez eu seja um pouco marica. (risos) Q: Você gostou da paisagem australiana? PATTINSON: Sim, eu adorei. É tão estranho e não há nada por milhas e milhas e é pacífica. Q: Você gosta de solidão e espaços abertos? PATTINSON: Sim, eu gosto de espaços abertos. E estrelas incríveis também. Q: Você consegue ficar sozinho tanto quanto quer nos dias de hoje? PATTINSON: Sim. Bem, mas não é assim, onde é que você está realmente sozinho? (risos) Como, não tenha ninguém. Q: Obrigado.

  Fonte | Tradução: Barbara Juliany


23
set
2014
Entrevista de Robert Pattinson para o MSN Canadá

Recentemente, Robert Pattinson concedeu uma entrevista para o MSN Canadá onde falou sobre seu próximo filme Queen of the Desert, Mia Wasikowska e sobre seu critérios para escolher novos trabalhos. Confira a seguir a entrevista traduzida:

Como freelance  jornalista de entretenimento/escritor/hack você pode dizer quão valioso o tempo de um ator é – pelo menos para o estúdio lhe oferecendo para a entrevista – pela quantidade de tempo que você tem com ele. Outros fatores incluem quantas pessoas ele terá ao seu redor e se você está ou então você é orientado a não fazer perguntas pessoais.

No caso de Robert Pattinson, ele é muito valioso. Enquanto não me pediram para me abster de inquéritos pessoais – os publicitários sabem que eu não ir dou a m***** sobre isso – a ex-estrela da série Crepúsculo está tendo seu tempo aqui no TIFF dividindo-se em tempos de quatro minutos, como é a demanda.

O filme que Pattinson está aqui para promover é Mapas para as Estrelas. É o seu segundo filme com o diretor canadense David Cronenberg depois do filme de 2012, Cosmópolis. Ele foi o principal nesse filme, mas tem um papel secundário no Mapas, interpretado Jerome, um motorista de limusine de Hollywood com ambições de ser roteirista. Mia Wasikowska (Amantes Eternos) interpreta  Agatha, uma jovem desfigurada com uma conexão secreta com uma família de alta potência de Hollywood, que emprega Jerome para ser seu motorista.

Mapas para as Estrelas é escrito por Bruce Wagner. Um ex-ator que co-estrelou com a co-estrela de Mapas, John Cusack, em 1986 em Um Verão Muito Louco, Wagner passou a tornar-se um escritor respeitado e roteirista. Ele também costumava trabalhar como motorista de limusine, fazendo-o, para todos os efeitos, uma versão de Jerome.

“Eu pensei que era hilário, e meio que perigoso”, diz Pattinson do roteiro de Wagner. “Eu gostei bastante do fato de que – e David também gostou – ele é desse tipo de homem genial, acadêmico. E depois de ver o roteiro, em duas páginas dele, é tão selvagem e há piadas que você realmente não sabe como vai ser, se bom ou cair por terra com bastante facilidade. Eu apenas adoro sentir alegria de David com isso”.

Pattinson diz que só encontrou Wagner depois de ter filmado “um monte de coisas” sobre o filme, que foi gravado em Toronto e Los Angeles.

“Mas então eu meio que falei com David sobre isso, porque é uma papel estranho. Na página, ele é uma espécie de código para Bruce e quase uma lacuna na página. Então, eu realmente não queria revelar a minha ignorância.”

Quanto a ex-modelo Wasikowska, Pattinson diz tê-la conhecido “há muito tempo, e eu vi um monte de coisas dela também. Acho que ela é uma atriz realmente incrível”.

“Mas é engraçado. Ela ficou muito mais confiante. Não sei se isso é ruim a dizer, mas só de vê-la é tão engraçado… E eu não sei. Há algo diferente que eu vi nela que não sabia que  funciona tão bem com a sua personalidade e habilidades.”

Pattinson poderá ser visto em Queen of the Desert, uma biografia do explorador do início do século 20, Gertrude Bell, interpretado no filme por Nicole Kidman. Pattinson co-estrela como Col T.E. Lawrence, um papel antes vivido pelo falecido Peter O’Toole em Lawrence of Arabia de 1962. O filme é dirigido pela lenda alemã Werner Herzog (Fitzcarraldo, O Sobrevivente).

Questionado sobre seus critérios para escolher papéis atualmente, Pattinson admite: “Sim, eu basicamente tenho alguns problemas de insegurança estranhos. Então, eu quero ter tão pouco como uma aposta possível ao fazer os meus trabalhos. Então, eu basicamente só tento trabalhar com produtores extremamente prodigiosos, e esse é o tipo de sido meu único processo de tomar decisões”.

Quanto aos roteiros de motoristas de limusines, Pattinson diz ter sido abordado por vários.

“Na verdade, algumas vezes. Várias vezes… Muitas, muitas vezes. Mesmo aqui!”, diz ele, rindo.

“O que você faz?”, Pergunto.

“Eu sempre os pego”, diz ele. “Posso rasgar-los mais tarde!”

 

Fonte | Tradução: Milla Correa


19
set
2014
Robert Pattinson é um guru fashion? Assista ao vídeo legendado!
10:25

Robert Pattinson é considerado um “guru fashion”, você sabia? Bem, aparentemente nem ele! O ator respondeu em tom de brincadeira a pergunta e falou sobre deixar suas roupas espalhadas por aí e tê-las roubadas. Assista no vídeo legendado abaixo a entrevista feita durante a divulgação de ‘The Rover – A Caçada’ em Londres.

Confira também as screencaps deste vídeo:


xScreencaps > TV, Rádio e segmentos online > 2014 > (06/08) Entrevista Heatworld


Página 1 de 23512345678...203040...Última »